Category

Cursos e Palestras

Category

As aulas práticas sobre corte de cabelos, escovas e visagismo feminino e masculino começaram no último dia 10 outubro, com uma turma de nove internas do Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF).

O curso profissionalizante tem carga horária de 80 horas e é realizado pela Umanizzare Gestão Prisional Privada, empresa que faz cogestão em seis unidades da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), por meio do “Projeto Lisbela”.

O Projeto Lisbela tem suas aulas em um ambiente que segue o mesmo modelo padrão de um salão de beleza, com lavatórios, cadeira, espelhos, poltronas de cabeleireira, cadeiras para manicure, secador, chapinha, máquina de cortar cabelo, enfim, todos os equipamentos necessários para que as alunas do curso possam vivenciar as aulas práticas.O objetivo do projeto é a ressocialização das reeducandas, por meio do empreendedorismo.

Este ano o “Lisbela” formou 60 mulheres para atuar em salões de beleza ou abrir o próprio negócio, após o cumprimento da pena.  De acordo com a professora, Karla Nogueira, os cursos na unidade prisional têm ajudado na recuperação da autoestima das reeducandas.   “Procuramos trazer para elas cursos que estão em alta no mercado da beleza brasileiro. Já ensinamos sobre coloração, design de sobrancelhas, corte, visagismo feminino e masculino e escova. Mulheres agora, com mão de obra qualificada e futuras empreendedoras”, ressalta Karla.

Os certificados serão entregues conforme cronograma da unidade, com previsão para a primeira semana de dezembro. Para a gerente técnica da Umanizzare, Sheryde Karoline, as atividades desenvolvidas nas unidades são importantes na vida dos custodiados. Segundo ela, o encarceramento, muitas vezes, gera depressão e variações de humor que não contribuem para a recuperação das internas.

O “Lisbela” tem como objetivo valorizar as internas e auxiliá-las no processo de reinserção social através de uma profissão.  Além disso, o projeto proporciona um ambiente descontraído e harmonioso, onde elas podem aprender e ao mesmo tempo cuidar da aparência”, explicou Sheryde.

Remição de pena – Com o Projeto Lisbela, a Umanizzare tem alcançado objetivos como a redução da pena por meio de cursos.  As reeducandas trabalham como agentes multiplicadoras, repassando o aprendizado para outras internas.