Author

Umanizzare Brasil

Browsing

Quatro advogados da Unidade Prisional do Puraquequara (UPP) se revezam para atender os reeducandos em escala de plantão

A Unidade Prisional do Puraquequara (UPP) iniciou a semana com um mutirão jurídico para internos da unidade. Em 10 dias, 472 internos foram assistidos com à atividade que é desenvolvida pela Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) e a  Umanizzare Gestão Prisional – empresa que faz cogestão em cinco unidades do Amazonas. 

A ação jurídica contou com o apoio de quatro advogados que trabalharam para identificar junto aos presos as principais pendências processuais:  tempo de privação de liberdade, guias de recolhimento pendentes de cumprimento, audiências não designadas e possíveis excessos de prazo processual entre outras demandas.

“Através da assistência jurídica, os internos provisórios e também os sentenciados ficaram cientes da situação dos seus processos penais. No caso da UPP, que é uma unidade com cerca de 90% de presos provisórios, a maioria queria saber sobre o agendamento de audiências”, disse a coordenadora de projetos da Umanizzare, Maria Domingas Printes. 

Ainda segundo ela, os advogados constataram durante o mutirão que ao menos 300 presos ainda não haviam recebido aconselhamentos dos advogados da unidade.  

“Eles disseram para nossos colaboradores que eram assistidos por advogados particulares que no decorrer da ação os abandonaram, e que não sabiam que tinham direito a defensores gratuitamente e dentro da própria unidade”, finalizou a coordenadora.

Reeducandos da Unidade Prisional de Itacoatiara (UPI) receberam na quarta-feira (14), palestra sobre o “Dia Nacional de Combate ao Colesterol”. O evento aconteceu por meio de uma parceria entre a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) e a Umanizzare Gestão Prisional.

Durante a palestra, os internos aprenderam sobre os fatores que contribuem para a elevação dos índices do colesterol. Participaram da palestra os internos do Pavilhão A, da triagem e enfermaria, totalizando 65 internos. As palestras foram ministradas pela enfermeira Graciane Fábio, o técnico de enfermagem Hamiltom Matos e o agente promotor de saúde Rodrigo Amazonas.

A Enfermeira, Graciane Fábio, falou sobre o que é Colesterol, seus tipos, perigos, complicações e como identificar. Foi realizado uma dinâmica de perguntas e respostas, atendendo assim a expectativa dos internos aprenderem mais sobre o assunto.

Para a enfermeira Graciane Fábio, o tema foi muito importante para fazer educação em saúde. Segundo ela, os internos aprendem que não é só a má alimentação que pode contribuir para o colesterol alto, como também o cigarro, estresse e a falta de exercícios físicos.

De acordo com o reeducando, Elijonilson Torres, a palestra serve para que os reeducandos busquem uma alimentação mais saudável. “A gente fica pensando o quanto a má alimentação e o cigarro realmente podem fazer mal para nossa saúde, mas com essas palestras a gente vai repensar mais ainda sobre as consequências de continuar fazendo e levando risco para nossa vida”, disse.

As reeducandas do Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF) finalizaram nesta sexta-feira (16), o curso de limpeza facial. O curso é promovido por meio de uma parceria entre a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) e a Umanizzare Gestão Prisional.

De acordo com a assessora de projetos da Umanizzare, Domingas do Carmo Printes, o curso foi realizado em um período de 20 dias, com carga horária de 60h.

“Sete internas concluíram o curso que ajudou no processo de qualificação profissional e promoveu um ambiente de interação entre as reeducandas, tirando a tensão que existe no ambiente”, afirmou a assessora de projetos.

Domingas Printes disse que com o encerramento do curso, as reeducandas receberam um certificado de qualificação profissional, que servirá para ajudar as internas na busca de emprego após a passagem pelo cárcere.

“Muitas delas ressaltaram que não tiveram a oportunidade de participar de um curso de qualificação profissional fora no sistema prisional, por isso, agradeceram a proposta levada para a unidade prisional”, explicou Domingas.

A instrutora do curso, Aline Oliveira, disse que as reeducandas receberam os ensinamentos muito bem e se emocionaram no encerramento dos aprendizados. “Elas ficaram muito felizes e afirmaram que terão algo para fazer quando deixarem o ambiente prisional para buscar uma alternativa de sustento de suas famílias”, ressaltou.

A reeducanda Thais Guimarães disse que o projeto serve como qualificação profissional e também para tirar o tempo ocioso dentro das unidades. “Com o curso, ocupamos nossas mentes e temos esperança de dias melhores, com maiores oportunidades. Quando sair daqui terei uma profissão para buscar o sustento da minha família”, disse.

Os reeducandos do Instituto Penal Antônio Trindade (IPAT) têm uma produção diária de 400 pares de sandálias de borracha, na mini fábrica de chinelos que funciona dentro da unidade prisional, em um projeto desenvolvido por meio de uma parceria entre a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) e a Umanizzare Gestão Prisional.

A mini fábrica de sandálias vem proporcionando um ambiente de qualificação profissional, onde eles aprendem todas as técnicas de produção de chinelos de borracha.

Com a participação assídua na atividade, os reeducandos são beneficiados com a Remição da Pena por meio do trabalho, determinada pela Lei de Execução Penal (LEP).

De acordo com assessora de projetos da Umanizzare, Domingas do Carmo Printes, no âmbito do sistema penal brasileiro, a remição da pena pode ser feita pelo estudo e trabalho, seja no regime fechado ou semiaberto. 

“Assim, pelo desempenho da atividade laborativa ou do estudo, o preso resgata parte da condenação que lhe foi imposta, diminuindo seu tempo de duração. A cada três dias trabalhados, o preso tem direito à diminuição de um dia na pena”, disse Domingas.

Domingas Printes explicou que os reeducandos participaram de curso de capacitação ao longo de cinco dias, com uma carga horária de 20h de curso, onde aprenderam tudo sobre a confecção de chinelos de borracha.

“Essas sandálias são para abastecer todas as unidades prisionais que a Umanizzare faz a cogestão”, ressaltou Domingas.

Participaram do projeto de confecção de sandálias nesta sexta-feira (16), os reeducandos Francisco Pinheiro, Josielton Lima e Natanael Barbosa. Os trabalhos são instruídos pelo colaborador da Umanizzare Elres Barbosa.

Os reeducandos ressaltaram a importância de participar do curso que é oferecido dentro da unidade prisional. “Ficamos felizes por receber essa qualificação profissional e essa oportunidade que a empresa está nos dando, oportunidade essa que não tivemos fora do ambiente de cárcere. Com esse curso, temos certeza que teremos uma forma de ganhar o sustento da nossa família”, disse o reeducando Francisco Pinheiro.

Cuidados

A instrutora Nilcineide Lira ressaltou a importância de os reeducandos usarem os Equipamentos de Proteção Individual (EPI), bem como as técnicas de melhor acabamento dos materiais produzidos.

Os agentes de socialização da Umanizzare Gestão Prisional, que atuam dentro das unidades prisionais do Amazonas, onde a empresa faz a cogestão, vem recebendo um curso de formação continuada com o objetivo de manter um trabalho mais seguro e qualificado dentro do ambiente de cárcere. O curso acontece por meio de uma parceria com a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap).

De acordo com a gerente de RH da Umanizzare, Erika Borges, o curso tem o objetivo de promover o desenvolvimento dos colaboradores e aprimorar as habilidades necessárias para execução diária das atividades. “É uma forma de relembrar conceitos e diretrizes. Esse é o primeiro ano que estamos fazendo a formação continuada”, disse a gerente de RH.

Segundo Erika Borges, a formação continuada tem a importância de treinar e capacitar os colaboradores (nesse caso os agentes). “Temos um plano de formação continuada para todas as funções e todos serão treinados até o fim do ano. Na Formação Continuada os agentes de socialização têm a possibilidade de relembrar conceitos que viram na formação inicial”, destacou.

Erika Borges disse, ainda, que a Umanizzare busca constantemente pelo aperfeiçoamento e desenvolvimento de seus colaboradores, investindo em qualificação anual. A gerente de RH explicou que os agentes de socialização estão passando pela qualificação continuada, que além de rever conceitos e diretrizes é um momento de integração com outros colegas.

“Temos semanalmente 40 agentes em sala e até o início de agosto já foram treinados quase 300 agentes. A Umanizzare preocupa-se com os resultados e busca constantemente melhoria nos processos”, explicou a gerente.

A gerente de RH explicou que no curso os agentes de socialização voltam a ter contato com conteúdos que foram apresentados na formação inicial, tais como: desenvolvimento comportamental, políticas públicas de ressocialização e projetos, português básico aplicado a rotina dos procedimentos operacionais, relações interpessoais e ética, tratamento penitenciário, gerenciamento de crise, primeiros-socorros, noções prevenção e combate à incêndios, procedimentos operacionais padrão e monitoramento (POPM) e defesa pessoal e desarmamento.

Por sete dias são intensificadas as atividades que promovem reflexões e ações de incentivo a mudanças de atitude e reconstrução da cidadania de jovens e adultos do sistema penitenciário do Amazonas 

Todos os anos no mês de agosto a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) e a Umanizzare Gestão Prisional, empresa que faz a cogestão de cinco unidades prisionais do Amazonas, promovem a “Semana do Reeducando”. A finalidade é proporcionar um ambiente mais acolhedor – por meio de torneios de futsal, vôlei, filmes, palestras, cuidados com a saúde (realização de exames), promovendo também, reflexões e ações que incentivem mudanças de atitude e a reconstrução da cidadania de jovens e adultos do sistema penitenciário do Estado. 

“Além de atividades lúdicas, esportivas e de saúde – aproveitamos este momento para falar sobre os direitos e deveres dos dos encarcerados, sempre buscando a melhor forma de convivência. Toda a nossa equipe está trabalhando para que eles entendam a importância de respeitar o outro. Também estamos acolhendo as famílias, que voltaram às unidades. Está sendo uma semana bem produtiva”, disse a coordenadora de projetos Maria Domingas Printes. 

Durante sete dias, todo um calendário especial é feito para os internos e familiares. Com oportunidade de conversar com a equipe de psicólogos e psiquiatras, advogados, médicos, assistentes sociais.  Além de “dia da beleza” por meio do projeto Lisbela para as mulheres do CDPF, que promete uma verdadeira transformação junto às reeducandas, deixando-as ainda mais bonitas e com a autoestima elevada. A atividade é aberta para todas que desejarem participar.

A tarde de sexta-feira – encerramento das atividades, promete emocionar todos os internos com a apresentação dos alunos (as) do Projeto Harmonizzar, cantando e tocando em uma grande confraternização. 

No começo deste mês, 86 internas do Centro de Detenção de Detenção Provisória Feminino (CDPF), foram beneficiadas com um mutirão de atendimento jurídico.

A ação ocorreu na vivência dos pavilhões 01 e 02 com a presença dos dois advogados da unidade, Jerônimo Pereira e Joelma Takeda e dos profissionais da saúde, Anderson Pompeu e Pâmela Vieira.

O mutirão tem como finalidade identificar as principais pendências processuais das reeducandas, com levantamentos de documentos, parecer social, guias de recolhimento pendentes de cumprimento, audiências não designadas e possíveis excessos de prazo processual entre outras demandas.

Em paralelo, a área de saúde repassou orientações doenças de Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST), bem como sobre a importância do uso do preservativo para prevenção.  

As situações não solucionadas pelos enfermeiros no dia do mutirão, em decorrência de necessidade de receita médica, foram agendadas para o clínico geral.

A Unidade Prisional de Itacoatiara (UPI) realizou no período de 27 de maio a 23 de julho um curso de Pintura predial, no qual trouxe aos reeducandos o aprendizado qualificado com carga horária de 160 horas. O curso aconteceu por meio de uma parceria entre a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) e a Umanizzare Gestão Prisional.

O objetivo do curso foi mostrar possibilidades de mudanças de comportamento aos reeducandos, com pensamento voltado para o futuro de cada interno.

O curso foi ministrado pelo professor Luiz Carlos Gama, que tem ampla experiência na área da docência no Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam). Na terça-feira (6), aconteceu a solenidade de entrega dos certificados, onde participaram da mesa o diretor Antônio Cordeiro, o gerente de unidade Ivo Murilo, a assistente social Ana Bezerra, a psicóloga Patrícia Mendes, o advogado Michel Alex, além do professor do curso, Luiz Carlos.

Receberam certificados os reeducandos Breno Teixeira Barros, Elieldo Rodrigues da Silva, Francisco Augusto Conceição, Jorge Luiz da Silva de Souza, Kedison Bessa Prado, Leonardo Melo de Oliveira, Marcos Souza dos Santos, Miquéias Thiago Gonçalves da Silva, Richarles Almeida da Silva, Robson Ferreira de Melo e Ruan Maurício Ceballos.

Os alunos destaque foram: Ruan Maurício Ceballos, Elieldo Rodrigues da Silva, Francisco Augusto Conceição e Robson Ferreira de Melo que receberam como incentivo uma carta de recomendação.

A solenidade contou com a abertura da assistente social Ana Bezerra, em seguida, foi entregue os certificados e evento encerrou com as falas dos alunos Marcos de Souza e do diretor Antonio Cordeiro.

O reeducando Marcos de Souza em seu discurso destacou gratidão a todos que contribuíram para o curso acontecer.  “Agradeço a todos que compareceram à solenidade de encerramento do curso de Pintura Predial, compartilhando conosco esse momento de conquista, realizado na Unidade Prisional de Itacoatiara. Nosso agradecimento em especial ao Instrutor Carlos, que com toda sua experiência e paciência nos ensinou uma profissão que tem como objetivo realizar o sonho das pessoas transformando o ambiente”, explicou.

O reeducando Marcos de Souza acrescentou no final do discurso que espera sair da unidade com outro pensamento. “Espero sair dessa Unidade com o pensamento diferente do qual me trouxe aqui e conseguir ser inserido na sociedade com a esperança de dias melhores e de possibilidade de realizações”, ressaltou.

Com o objetivo levar o conhecimento e promover ações de promoção, prevenção e melhora nas ações curativas dentro do sistema carcerário, presos da Unidade Prisional de Itacoatiara (UPI) receberam palestras sobre promoção de saúde. O curso aconteceu por meio de uma parceria entre a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) e a Umanizzare Gestão Prisional.

O curso atende a Portaria Interministerial nº 1.777, de 09 de setembro de 2003, que institui no Plano Nacional de Saúde no Sistema Penitenciário a figura do Agente Promotor de Saúde dentro do Sistema Prisional, que equivale ao Agente Comunitário de Saúde, a fim de atuarem junto à População Carcerária orientando a outros reeducandos.

Os promotores de saúde atuam informando sobre as principais doenças que atingem a população penitenciária e colaborando na identificação de padrões para posteriormente fazer encaminhamento ao setor de saúde.

Na segunda-feira (12), houve a capacitação dos agentes referente a escovação correta dos dentes, dando importância sobre o combate contra cáries e outras doenças bucais.

Três internos aprenderam que usar o fio dental e escovar os dentes são aspectos fundamentais do cuidado bucal e é importante seguir a técnica adequada. Que usando as técnicas corretas de escovação e usar o fio dental diariamente, ajudará a promover a saúde bucal em longo prazo.

Os reeducados apreenderam, ainda, que o fio dental assegura a limpeza de resíduos que ficam depositados no dentes que a escova não alcança e que outro elemento que complementa o cuidado oral é a escovação da língua.

Para o reeducando Mebeson Bessa Prado, “este projeto é ótimo para eu aprender mais e poder ajudar o corpo técnico em qualquer urgência no pavilhão”, disse.

O Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM) realizou o Projeto “Cine Cultura” com reeducandos da Unidade. O evento aconteceu por meio de uma parceria entre a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) e a Umanizzare Gestão Prisional.

No Cine Cultura, os reeducandos assistiram os filmes: “Juntos pelo acaso” e “Vidro”. No total, 24 detentos participaram da sessão.

O romance e comédia “Juntos pelo acaso”, conta a história de Holly Berenson (Katherine Heigl) e Eric Messer (Josh Duhamel) que se conhecem, mas o primeiro encontro deles é um verdadeiro desastre. A única coisa que eles têm em comum é a paixão pela afilhada Sophie (Alexis Clagett/Brynn Clagett). Só que um acidente fatal deixou a menina órfã dos pais e a dupla foi designada para cuidar da pequenina. Obrigados a permanecerem juntos para cuidar dela, eles enfrentam as dificuldades típicas de quem passa a ser pai e mãe de uma hora para outra e começam a se entender melhor.

O suspense o “Vidro”, fala da história de (James McAvoy), que passa a ser perseguido por David Dunn (Bruce Willis), o herói de Corpo Fechado (2000). O jogo de gato e rato entre o homem inquebrável e a Fera é influenciado pela presença de Elijah Price (Samuel L. Jackson), que manipula seus encontros e guarda segredos sobre os dois.

O Projeto “Cine Cultura” no âmbito educativo proporciona um ambiente ideal para os reeducandos tomarem decisões conscientes. Além disso, o trabalho junto aos internos psiquiátricos torna-se mais descontraído e dá uma sensação extramuros. Segundo a equipe técnica que executa o projeto, durante a semana os internos ficam na expectativa para assistirem os filmes programados.

De acordo com os reeducandos que participaram da sessão, o “Cine Cultura” é um projeto que proporciona a eles momentos de descontração, que não só diverte como também levam a reflexões, o pensar introspectivo, que implica no meditar, de modo geral, sobre a vida e seus objetivos, a encontrar, mesmo que por inspiração de filmes, esperanças.