Author

Umanizzare Brasil

Browsing

Internos da Unidade Prisional de Itacoatiara (UPI) estão aptos para desenvolver técnicas básicas de estruturação de balões para decoração de ambientes e entretenimento de pessoas.  

O curso de ornamentação de balão foi ministrado para nove reeducandos da unidade, durante quatro dias, por meio do projeto “Mãos Livres, desenvolvido pela Umanizzare Gestão Prisional Privada, empresa que faz cogestão em seis unidades da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), que tem entre as metas propiciar às pessoas privadas de liberdade um   conjunto de trabalhos manuais de natureza terapêutica, com viés de inserção econômica.

De acordo com a instrutora, Ana Fonseca Moreno e a psicóloga Patrícia Mendes,  além de terem acesso a noções de técnicas modernas de arte, os cursos do projeto tem  foco em sustentabilidade e design, proporcionando aos reeducandos se familiarizem com planos de negócios, proposta de valores, marketing e análise de mercado.

“Eles conheceram as técnicas para inflar, medir e amarrar os balões de forma profissional. Também aprenderam sobre montar e fixar colunas e arcos de balões – representando figuras diversas de acordo com o tema solicitado pelo cliente”, disse Ana Fonseca, informando que a carga horária poderá ser estendida, pois dentro do curso ainda tem muita técnica a ser explorada.

O participante, Vilmar da Silva, enfatizou que o curso foi importante, pois, agora tem outro ofício para ganhar dinheiro quando estiver em liberdade.

A gerente técnica da UPI, Maria Domingas Printes, acrescenta que o curso de ornamentação com balões trouxe incentivo e descontração aos reeducandos, que também aproveitaram a oportunidade para ornamentar o espaço para a comemoração do dia das crianças.

Reeducandas da Penitenciária Feminina de Manaus (PFM), do Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF) e da Enfermaria Psiquiátrica do Centro de Detenção Provisória de Manaus (CDPM), assistirão esta semana ao filme “ Lado a Lado”, dentro do Projeto Cine Cultura.

O filme retrata a história de uma jovem de doze anos (Jena Malone) e um garoto de sete (Liam Aiken), filhos de pais separados,  que não aceitam a nova namorada do pai (Ed Harris), uma bela e renomada fotógrafa (Julia Roberts). O garoto ainda tolera a situação, mas a adolescente não se conforma com a separação e com fato de seu pai e a namorada viverem juntos, pois isto significa que as chances de reconciliação de seus pais se tornam quase nulas. Por sua vez, a mãe das crianças (Susan Sarandon) ainda alimenta esta briga, fazendo o gênero “mãe perfeita”. A fotógrafa faz de tudo para agradar as crianças, chegando ao ponto de dar tanta atenção aos enteados que acaba perdendo o emprego, pois deixou de ser a profissional competente que era. Até que uma notícia inesperada muda completamente a relação entre os familiares, e ensinam a todos lições sobre amor, família e força.

O projeto “Cine Cultura” é promovido pela Umanizzare Gestão Prisional Privada, empresa que faz cogestão em seis unidades da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap). O programa é realizado todas as sextas-feiras.  As sessões de cinema, com produções de estilos variados, são acompanhadas de pipoca e refrigerante e selecionadas pela equipe técnica de acordo com o tema a ser abordado e buscam trabalhar os conflitos, ou educar e orientar ludicamente.  Após o filme, os internos passam por um momento de interação, em uma roda de conversa, como processo de orientação para o retorno à sociedade.

“Mesmo com as diferenças individuais e os conflitos internos de cada um, queremos levar a mensagem ao exibir este filme para os reeducandos e mostrar que com amor e tolerância é possível superar os obstáculos, os medos do isolamento, reforçando inclusive a importância da relação deles com a família”, explica a psicóloga, Neiva de Souza Mar, responsável pela Enfermaria Psiquiátrica do anexo do CDPM.

Para a assistente social, Carla Rute Maia de Oliveira, durante a semana os reeducandos ficam na expectativa do “dia do cinema”. Ainda segundo ela, eles ficam curiosos sobre qual o filme que será apresentado.

“O cinema, no âmbito educativo, proporciona um ambiente ideal para ajudar as pessoas privadas de liberdade a tomarem decisões conscientes e responsáveis. Além disso, o trabalho junto aos pacientes psiquiátricos se torna ainda mais humanizado, descontraído”, analisa a assistente social da Umanizzare.

O projeto de confecção de chinelos dentro do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj-Fechado), vem promovendo um processo de aprendizagem para os reeducandos que participam do projeto, que garantem uma renda extra no fim de cada mês.

De acordo com a terapeuta ocupacional do Compaj, Nelcineide Lira, a fábrica de chinelos tem o objetivo de atender a demanda de fornecimento dos calçados aos reeducandos de todas as unidades prisionais no Amazonas, além de oferecer o trabalho remunerado aos reeducandos com a confecção de chinelos.

A terapeuta ocupacional disse que atualmente a fábrica de chinelos tem capacidade de produção diária de 100 pares. Segundo Nelcineide Lira, a fábrica emprega quatro reeducandos, que foram previamente selecionados pelos setores de serviço social e psicologia.

Nelcineide Lira disse que a fábrica de chinelos no Compaj oferece uma oportunidade de emprego e qualificação profissional para os reeducandos. Além de oferecer um serviço remunerado, de frequência diária, a produção visa suprir a demanda da empresa quanto aos chinelos em todas as unidades.

“A produção é para atender a demanda da empresa, no que diz respeito ao fornecimento de sandálias para o reeducandos”, ressaltou a colaboradora.

A terapeuta ocupacional explicou que os colaboradores ficam bastante satisfeitos com o serviço feito pelos internos na fábrica de chinelos. Segundo Nelcineide, a oportunidade dada pela empresa aos reeducandos como forma de requalificação profissional, é algo visto com bons olhos pelos reeducandos.

Reeducandos da Unidade Prisional de Itacoatiara (UPI) trabalham nesta segunda semana do mês de outubro, na confecção de brinquedos para serem distribuídos no dia das crianças, 12 de outubro. Os brinquedos serão distribuídos durante o projeto “Pequeninos”, que acontece no final de semana, dentro da unidade prisional.

De acordo com a psicóloga Patrícia Mendes Gonçalves, o trabalho de confecção de brinquedos é uma ação que é desenvolvida todos os anos pelos reeducandos e oferece um momento único para as crianças que acompanham as visitas nas unidades prisionais a algum parente que teve a liberdade privada.

“O projeto pequeninos é uma continuação de uma atividade de confecção de brinquedos para a ação do dia das crianças, que teve acompanhamento da assistente social Ana Maria Bezerra”, disse a psicóloga.

A assistente social Ana Maria Bezerra disse que o momento é socioeducativo com os familiares e filhos dos internos, onde serão entregues os brinquedos, que são confeccionados  com garrafas pets, papelão ou até papel emborrachado.

“O projeto promove a interação social, sem contar que os reeducandos que participam da atividade tem remição da pena”, disse Ana Maria Bezerra.

Segundo a assistente social, a remição de pena é o abatimento dos dias e horas trabalhados do preso que cumpre pena em regime fechado ou semiaberto, diminuindo dessa forma a condenação que foi sentenciado.

“É um dos direitos assegurados na Lei de Execução Penal (LEP) conforme os artigos 31 e 41 da LEP”, disse a assistente social.

Para o interno Alessandro Ferreira, confeccionar os brinquedos faz com que os reeducandos tenham um momento de interação e construção coletiva, pois, todos se ajudam para que possam produzir os melhores itens de divertimentos para serem distribuídos no dia das crianças.

“Ganhamos a responsabilidade participando das ações que envolvem a família dentro da UPI”, disse o reeducando.

Aproximadamente 1200 reeducandos do sistema penitenciário amazonense serão vacinados com a tríplice Viral, que protege  o corpo contra o Sarampo, Caxumba e Rubéola, doenças altamente contagiosas. A campanha de vacinação faz parte do calendário de imunização desenvolvido pela Umanizzare Gestão Prisional Privada, empresa que faz cogestão em seis unidades da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap).

A ação será realizada em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), que irá disponibilizar as vacinas. Além dos custodiados, a imunização se estende aos servidores, agentes, advogados, psicólogos, assistentes sociais e policiais que têm contato direto com os internos nas unidades.

Segundo a gerente técnica da Umanizzare, Sheryde Karoline, a vacina é a única medida preventiva e a mais segura contra essas doenças.  “A vacinação dentro das unidades são feitas com frequência, devido à rotatividade e ao grande número de detentos que chegam às penitenciárias”.

Na Unidade Prisional de Itacoatiara (UPI) a campanha de vacinação de Tríplice Viral foi realizada no começo deste mês e imunizou 66 reeducandos dos Pavilhões A, B, triagem, enfermaria e três colaboradores.

Toda a equipe de saúde da unidade participou da ação na UPI. Antes da vacinação  houve uma palestra sobre a importância da vacina, quem poderia tomar e os possíveis efeitos colaterais. “Em seguida verificamos a situação vacinal e registro de novos cartões de vacinação adulta, caso o reeducando não tenha tomado a vacina nas campanhas anteriores e resolva tomar nesta, o ciclo dele é iniciado sem problema”, disse a enfermeira Graciane Fábio.  

Programação – A Campanha contra o Sarampo, Caxumba e Rubéola deve acontecer nos próximos dias nas unidades prisionais do Puraquequara (UPP), Penitenciária Feminina de Manaus (PFM), Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj Fechado), Instituto Penal Antônio Trindade (IPAT), Centro de Detenção Provisório Feminino (CDPF) e Centro de Detenção Provisório Masculino (CDPM), a previsão é de que até dezembro os reeducandos estejam protegidos contra essas enfermidades.

No mês dedicado a prevenção do câncer de mama e de colo de útero, a Umanizzare Gestão Prisional Privada, empresa que faz cogestão em seis unidades da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), realizou em torno de 60 exames preventivos entre as internas do Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF) e da Penitenciária Feminina de Manaus (PFM).

Além dos exames preventivos pelo “Outubro Rosa”, as equipes de saúde das unidades também realizaram palestras e distribuição de panfletos explicativos quanto aos cuidados que podem diagnosticar as doenças e como preveni-las.

Segundo o enfermeiro do CDPF, Anderson Pompeu, as atividades propostas foram bem aceitas pelas reeducandas, com a participação da maioria delas.

“Tivemos uma atuação bastante positiva. Durante as palestras recebemos informações importantes, pois, muitas relataram casos de câncer em familiares próximos, outras questionaram sobre as doenças, quem deve fazer os exames periodicamente, e até como funciona a mamografia. Havia muitas dúvidas e agora elas possuem as informações”, ressaltou o enfermeiro.

Visitantes – Nas unidades masculinas as ações da Campanha “Outubro Rosa” foram voltadas para as mulheres visitantes.  Durante as atividades do planejamento familiar ou do cadastro elas foram instruídas sobre as doenças e das necessidades de procurarem os postos de saúde ao menos uma vez ao ano, para os exames preventivos como papanicolau e de mama.  

INCA – De acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), o câncer de mama é o tipo mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, depois do câncer de pele não melanoma, e responde por cerca de 25% dos casos novos a cada ano. Para o Brasil, estimam-se 59.700 casos novos de câncer de mama, para cada ano do biênio 2018-2019, com um risco estimado de 56,33 casos a cada 100 mil mulheres.

A estatística  para mulheres em cada ano do biênio 2018-2019, quanto ao Câncer de colo no Brasil, 18.980 casos. Esses valores correspondem a um risco estimado de 17,90 para cada 100 mil mulheres. É o terceiro mais frequente em homens e o segundo entre as mulheres.

As aulas práticas sobre corte de cabelos, escovas e visagismo feminino e masculino começaram no último dia 10 outubro, com uma turma de nove internas do Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF).

O curso profissionalizante tem carga horária de 80 horas e é realizado pela Umanizzare Gestão Prisional Privada, empresa que faz cogestão em seis unidades da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), por meio do “Projeto Lisbela”.

O Projeto Lisbela tem suas aulas em um ambiente que segue o mesmo modelo padrão de um salão de beleza, com lavatórios, cadeira, espelhos, poltronas de cabeleireira, cadeiras para manicure, secador, chapinha, máquina de cortar cabelo, enfim, todos os equipamentos necessários para que as alunas do curso possam vivenciar as aulas práticas.O objetivo do projeto é a ressocialização das reeducandas, por meio do empreendedorismo.

Este ano o “Lisbela” formou 60 mulheres para atuar em salões de beleza ou abrir o próprio negócio, após o cumprimento da pena.  De acordo com a professora, Karla Nogueira, os cursos na unidade prisional têm ajudado na recuperação da autoestima das reeducandas.   “Procuramos trazer para elas cursos que estão em alta no mercado da beleza brasileiro. Já ensinamos sobre coloração, design de sobrancelhas, corte, visagismo feminino e masculino e escova. Mulheres agora, com mão de obra qualificada e futuras empreendedoras”, ressalta Karla.

Os certificados serão entregues conforme cronograma da unidade, com previsão para a primeira semana de dezembro. Para a gerente técnica da Umanizzare, Sheryde Karoline, as atividades desenvolvidas nas unidades são importantes na vida dos custodiados. Segundo ela, o encarceramento, muitas vezes, gera depressão e variações de humor que não contribuem para a recuperação das internas.

O “Lisbela” tem como objetivo valorizar as internas e auxiliá-las no processo de reinserção social através de uma profissão.  Além disso, o projeto proporciona um ambiente descontraído e harmonioso, onde elas podem aprender e ao mesmo tempo cuidar da aparência”, explicou Sheryde.

Remição de pena – Com o Projeto Lisbela, a Umanizzare tem alcançado objetivos como a redução da pena por meio de cursos.  As reeducandas trabalham como agentes multiplicadoras, repassando o aprendizado para outras internas.

Os filhos das pessoas privadas de liberdade do sistema penitenciário amazonense terão todo o mês de outubro para celebrar o Dia das Crianças. Nos próximos dias 20 e 21, a criançada vai receber a atenção e o carinho dos pais em uma grande confraternização realizada na Unidade Prisional de Itacoatiara (UPI).

A programação será realizada no espaço do projeto “O Pequenino” e no pátio de visitas, que serão decorados pelos internos que participam do curso de Ornamentação de Balões, com o tema: “Criança é nunca perder a magia da vida”. As crianças participarão de brincadeiras como a corrida do saco, caça ao tesouro, dança da cadeira entre muitas outras atividades, finalizadas com a premiação de brinquedos.

Segundo a gerente técnica da UPI, Maria Domingas Printes, a maioria dos brindes que serão distribuídos para a meninada foi confeccionada pelos próprios reeducandos, como aviõezinhos, unicórnios e carrinhos. Ainda, segundo ela, todo o material utilizado é reciclado e foi disponibilizado pela Umanizzare Gestão Prisional Privada, empresa que faz cogestão em seis unidades da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap).

“O intuito é fortalecer o laço dos reeducandos com as suas famílias, visando o bem-estar social e emocional dos mesmos, incentivando-os a doarem o seu tempo, conhecimento e amor às crianças que irão participar das ações na UPI”, afirma Domingas.

Em Manaus as comemorações pelo Dia das Crianças foram realizadas nos dias 13 e 14 deste mês.  Nas unidades do Centro de Detenção Provisória de Manaus (CDPM), Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj/ Fechado), Instituto Penal Antônio Trindade (IPAT), e na Unidade Prisional do Puraquequara (UPP), os colaboradores da área técnica e operacional recepcionaram a criançada fantasiados de super- heróis e palhaços, proporcionando a diversão dos pequenos. Além de muitas brincadeiras eles receberam também presentes, picolés, doces, salgados e refrigerante, sempre acompanhados dos familiares.  

Já na Penitenciária Feminina de Manaus (PFM) e no Centro de Detenção Provisória Feminino de Manaus (CDPF) a garotada se divertiu com o teatro de bonecos.  As marionetes ganharam vida pelas mãos e vozes das colaboradoras que interagiram com as crianças durante os contos. Eles também ganharam brindes e guloseimas.

Internos que já atuam na Unidade Prisional de Itacoatiara (UPI) como “Agentes Promotores de Saúde (APS) receberam novo treinamento para prestar  primeiros socorros.

O projeto de Formação  de Agentes Promotores de Saúde  segue as diretrizes do artigo 20 da Portaria Interministerial nº 01/2014, que diz que  as pessoas privadas de liberdade poderão trabalhar nos serviços de saúde implantados dentro das unidades prisionais, nos programas de educação e promoção da saúde e nos programas de apoio aos serviços de saúde. Será proposta a concessão do benefício de remição de pena ao apenado que terminar a qualificação e trabalhar nas unidades, ao Juízo da Vara de Execução Penal.

A capacitação foi oferecida pela Umanizzare Gestão Prisional Privada, empresa que faz cogestão em seis unidades da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) e de  acordo com a gerente técnica da unidade, Domingas Printes, a figura do agente promotor de saúde dentro do sistema prisional é equivalente ao agente comunitário de saúde.

“Além de contribuir para melhorar a qualidade de vida dentro das unidades, com ações de promoção, prevenção e melhora nas ações curativas, o projeto de formação insere-se na política de ressocialização por meio do trabalho e eleva a autoestima dos reeducando”, enfatiza a gerente.

A enfermeira, Graciane Fábio, disse que os agentes tiveram uma aula teórica sobre noções de anatomia do tórax, e depois aula prática com outros internos participantes e também com  os bonecos que tinham garrafa pet dentro dos travesseiros, simulando a localização exata e as compressões das massagens cardíacas. “ A parada cardiorrespiratória (PCR) é uma emergência de alta gravidade, que exige de quem for socorrer todo o conhecimento para a sua identificação e realização das manobras de ressuscitação cardiopulmonar”, reforçou a Graciane.

Cuidados também com a boca – Além de primeiros socorros os reeducandos também assistiram a uma palestra ministrada pela cirurgiã-dentista Jucenilda Oliveira, sobre Doença  Periodontal – uma enfermidade inflamatória que acomete os tecidos da gengiva destruindo os tecidos do ligamento que dão sustentação aos ossos dos dentes.  “Os reeducandos são orientados sobre as principais doenças que atingem a população penitenciária, isso serve para a identificação de padrões para posterior encaminhamento ao setor de saúde das unidades atendidas”, afirmou Jucenilda, ressaltando, ainda, a necessidade da higienização correta  da boca para evitar ações bacterianas, acúmulo de tártaro e inflamações  que colaboram para a formação de bolsas periodontais podendo levar à perda dos dentes.

Aproximadamente 100 reeducandos do sistema penal amazonense passarão pela avaliação do projeto “Remição pela Leitura”.  As provas escritas serão aplicadas por equipes técnicas multidisciplinares da Umanizzare Gestão Prisional Privada, idealizadora do projeto, e empresa responsável pela cogestão de seis unidades da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap).

As avaliações são realizadas com base nos livros distribuídos pela Umanizzare e lidos pelos reeducandos.  Participarão dos testes presos da Unidade Prisional Puraquequara (UPP), Unidade Prisional de Itacoatiara (UPI), Instituto Penal Antônio Trindade – (IPAT), Centro de Detenção Provisória de Manaus (CDPM) e o Complexo Penitenciário Anísio Jobim (COMPAJ / Fechado).  Os resultados das provas devem ser divulgados até a primeira quinzena do mês de dezembro.

De acordo com a gerente técnica da Umanizzare, Sheryde Karoline, o projeto “Remição pela Leitura” tem como finalidade a ressocialização pela educação. “A maioria dos apenados possui baixo grau de escolarização e pertence às camadas menos favorecidas da sociedade, quando inserimos  a atividade, percebemos que a autoestima, o desenvolvimento do respeito próprio e também às demais pessoas, se elevam”, diz Sheryde, enfatizando que a prioridade é demonstrar a importância que a leitura pode desempenhar na vida de um apenado.

Para o reeducando, Alessandro Pessoa de Souza, que cumpre pena na Unidade Prisional de Itacoatiara (UPI), o projeto estimula e dá confiança de dias melhores.

“Passei a ter outro comportamento, pois abriu meu entendimento para o saber. Através das histórias que leio, aprendo e aplico este conhecimento obtido dos livros no meu dia-a-dia”, diz Alessandro.

Sobre a Remição Pela Leitura – Recomendado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e previsto na Lei de Execução Penal (LEP), o Programa de Remição pela Leitura visa reduzir a pena dos internos utilizando obras literárias, viabilizando a remição de quatro dias da pena, a cada livro e resenha/relatório de leitura de obras devidamente lidas e avaliadas, prática que tem-se mostrado uma extraordinária ferramenta também para a melhoria do convívio interno nos presídios.