CDPF

Presas do CDPF passam por mutirão de saúde

Compartilhe no Google+ Compartilhe no Pinterest Compartilhe no LinkedIn Compartilhe no Tumblr

Setenta e nove reeducandas do Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF), foram beneficiadas com um mutirão de atendimento à saúde. 

A ação foi promovida Umanizzare Gestão Prisional, empresa que faz a cogestão de cinco presídios da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), na quarta-feira (29), e teve como objetivo orientar e administrar medicamentos com a finalidade de prevenir e combater possíveis epidemias causadas por verminoses.

“Esse tipo de ação é muito importante para a manutenção e preservação da integridade da saúde de nossos internos”, destacou o enfermeiro da Umanizzare, Anderson Viana Pompeu de Campos que contou com o auxílio do técnico de enfermagem, Josias Bernadino Junior. 

Os profissionais da saúde explicaram às internas que as verminoses são normalmente transmitidas pela ingestão de alimentos ou água contaminada e também pelo contato desprotegido com solo que abriga parasitas.  A verminose pode provocar febre, diarreia, náusea, vômito, tosse seca, dores abdominais e dor de cabeça. 

Nas formas mais graves da doença, podem ocorrer complicações como insuficiência hepática, hemorragia digestiva, comprometimento do sistema nervoso central e glomerulonefrite.

“As verminoses podem ser facilmente prevenidas com hábitos simples de higiene, entre as medidas que podem ser tomadas individualmente, podemos citar:  lavar bem as mãos antes de se alimentar, ao manipular alimentos e após ir ao banheiro”, explicou o enfermeiro. 

A reeducanda, Ana Cassia da Silva Bente, disse que faz questão de participar das ações voltadas para a saúde, pois segundo ela, por estarem privadas de liberdade existe um alto índice de rotatividade dentro do sistema prisional e isso pode trazer doenças: “acho super importante esse tipo de campanha, para minimizar a possibilidade de contrair alguma verminose”, afirmou a interna.

Publique um comentário