CDPM

Prevenir para Sorrir: presos do Puraquequara recebem orientações para manter a boca saudável

Compartilhe no Google+ Compartilhe no Pinterest Compartilhe no LinkedIn Compartilhe no Tumblr

Com o objetivo de orientar os reeducandos sobre a necessidade da higiene bucal foi realizado no dia 23 de outubro pela Umanizzare Gestão Prisional – empresa que faz cogestão em cinco unidades da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) mais uma ação do projeto “Prevenir para Sorrir”, criado para evitar doenças na boca.

Aproximadamente 25 reeducandos da galeria 5 da Unidade Prisional do Puraquequara (UPP) assistiram a uma palestra educativa sobre escovação dental e a importância do uso do flúor.  As informações previnem cáries, perda de dentição e mau hálito, que podem acarretar baixa autoestima no interno.

A cirurgião dentista Soanne Bacelar e auxiliar Elen Patricia Silva da Costa utilizaram de recurso áudio visual e macro modelo, para ensinar duas técnicas que podem detectar placas bacterianas. 

“Na primeira técnica, os reeducandos realizaram a escovação em apenas um lado da boca e depois sentiam com a língua onde existia a placa bacteriana. De uma forma bem simples os reeducandos conseguiam sentir que a parte mais lisa era o lado que havia sido escovado”, explicou o dentista. 

Ainda, segundo ele, na segunda técnica ensinada ao internos, de forma visual eles: “observam com o espelho a ação de evidenciação bacteriana, que colore na cor rosa, as partes dos dentes que estão sujas, desta forma os mesmos podem perceber a importância de manter a saúde bucal”, acrescentou a profissional. 

Unidades – O projeto de saúde bucal “Prevenir Para Sorrir”, foi lançado em 2016 pela Umanizzare Gestão Prisional Privada, e é realizado em todas as unidades do sistema prisional cogeridas pela empresa no Estado. Ainda nesta semana, será a vez dos custodiados do Centro de Detenção Provisória de Manaus (CDPM 1) receberem as orientações sobre a importância de uma boca saudável. 

“Nosso objetivo é orientar os reeducandos a assumirem a responsabilidade por sua própria saúde bucal, evitando algumas doenças comuns entre os custodiados, como gengivite (inflamação da gengiva), periodontite e câncer bucal”, finaliza a coordenadora de projetos da Umanizzare, Maria Domingas Printes.

Publique um comentário