Cursos e Palestras

Seiscentos agentes de socialização da Umanizzare recebem curso de “Formação Continuada”

Compartilhe no Google+ Compartilhe no Pinterest Compartilhe no LinkedIn Compartilhe no Tumblr

Ao menos seiscentos agentes de Socialização da Umanizzare Gestão Prisional, que atuam dentro das unidades prisionais do Amazonas, já participaram do curso de “Formação Continuada”. O curso tem o objetivo de manter o trabalho mais seguro e qualificado dentro do ambiente de cárcere.

De acordo com a gerente de RH da Umanizzare, Erika Borges, o curso acontece por meio de uma parceria entre a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) e a Umanizzare.

“O objetivo do curso é promover o desenvolvimento dos colaboradores e aprimorar as habilidades necessárias para execução diária das atividades. É uma forma de relembrar conceitos e diretrizes. Esse é o primeiro ano que estamos fazendo a formação continuada”, disse a gerente de RH.

Outra importância do curso de “Formação Continuada”, conforme explicou Erika Borges, é treinar e capacitar os colaboradores (nesse caso os agentes). “A Umanizzare busca constantemente pelo aperfeiçoamento e desenvolvimento de seus colaboradores, investindo em qualificação anual”, ressaltou a gerente de RH.

Erika Borges explicou que os agentes de socialização que estão passando pela qualificação continuada, além de reverem conceitos e diretrizes, passam por um momento de integração com outros colegas.

“Temos semanalmente 40 agentes em sala e já temos seiscentos agentes capacitados. A Umanizzare preocupa-se com os resultados e busca constantemente a melhoria nos processos”, explicou a gerente.

Erika Borges disse que a empresa tem um plano de formação continuada para todas as funções e todos serão treinados até o fim do ano. “Na Formação Continuada os agentes de socialização têm a possibilidade de relembrar conceitos que viram na formação inicial”, destacou.

A gerente de RH explicou que no curso os agentes de socialização voltam a ter contato com conteúdo que foram apresentados na formação inicial, como desenvolvimento comportamental, políticas públicas de ressocialização e projetos, português básico aplicado a rotina dos procedimentos operacionais, relações interpessoais e ética, tratamento penitenciário, gerenciamento de crise, primeiros-socorros, noções prevenção e combate à incêndios, procedimentos operacionais padrão e monitoramento (POPM), defesa pessoal e desarmamento.

Publique um comentário