CDPF

Trinta e duas internas do CDPF são avaliadas pelo projeto Remição pela Leitura

Compartilhe no Google+ Compartilhe no Pinterest Compartilhe no LinkedIn Compartilhe no Tumblr

Trinta e duas reeducandas do Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF) passaram por avaliações escrita e oral do projeto de Remição pela Leitura,  que tem como finalidade incentivar o hábito da leitura. A atividade é desenvolvida pela Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) e a Umanizzare Gestão Prisional, empresa que faz cogestão em cinco presídios do Amazonas.

Porém, quem participa do projeto, seja o colaborador ou interna, diz que novos hábitos e comportamentos positivos são adquiridos no decorrer da atividade. 

“Além da questão educacional, aprendizado, o Projeto transforma o dia-a-dia das internas. Elas ficam mais tranquilas à medida que o tempo delas aqui dentro é consumido pelo livro”, disse o psicólogo da unidade, Igo Felipe Almeida da Silva. 

A reeducanda, Adelia Frota Dias, que leu o livro “Pelas Portas do Coração” da autora Zibia Gasparetto, ressaltou as mudanças na rotina das colegas reeducandas: “Já gostava de ler, só que agora a gente acaba trocando informações, comentando, indicando obras, o que torna o ambiente mais agradável “.

Metodologia:  A metodologia aplicada para as provas é dividida em duas etapas: distribuição das obras a serem lidas no começo do mês, e prova escrita e oral ao final de 30 dias. 

“A cada edição temos o aumento e a participação das reeducadas só melhora com o passar do tempo. A leitura possibilita a geração de novos saberes, novas práticas educativas”, ressalta o psicólogo. Remissão Pela Leitura: Segue a recomendação nº 44, de 26 de novembro de 2013 do Conselho Nacional de Justiça, que dispõe sobre atividades educacionais complementares para fins de remição de pena pelo estudo e estabelece critérios para a admissão pela leitura.

Publique um comentário