Cursos e Palestras

Reeducandos da UPP participam de atividade de Remição pela Leitura

Compartilhe no Google+ Compartilhe no Pinterest Compartilhe no LinkedIn Compartilhe no Tumblr

Os reeducandos da Unidade Prisional de Puraquequara (UPP) receberam nos dias 24, 25 e 26 atividades relacionadas ao projeto Remição pela Leitura. O projeto acontece por meio de uma parceria entre a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) e a Umanizzare Gestão Prisional.

A atividade foi realizada pela equipe multidisciplinar da unidade, com a cooperação dos profissionais da área técnica: Nádia Regina e Viviane Reis (assistentes sociais), Erika Gomes e Bruna Rodrigues (serviço social) Alessandra Mendes Cabral e Flávia Bueno (psicólogas).

Como convidados a compor a banca de avaliação, estiveram presentes as auxiliares de saúde bucal, Ana Paula e Ellen Silva. No primeiro dia, compareceram para elaboração da prova escrita 13 reeducandos.

A psicóloga Flávia Bueno disse que a avaliação tem como objetivo a produção do Relatório de Leitura, otimizando práticas necessárias para realizar uma síntese de forma coesa e coerente, respeitando as pontuações e principalmente a ideia do autor do livro.

“Os participantes entregaram seus apontamentos e em seguida deram início a realização da prova oral. O objetivo da avaliação oral, é avaliar a competência da leitura, onde os participantes puderam explanar diante da banca avaliadora o que entenderam do livro escolhido”, disse a psicóloga.

De acordo com a psicóloga, no segundo dia, compareceram para elaboração da prova escrita 11 reeducandos. Essa prova tem como objetivo a produção do relatório de leitura, otimizando práticas necessárias para realizar uma síntese de forma coesa e coerente, respeitando as pontuações e principalmente a ideia do autor do livro.

Já no terceiro dia de atividade, a psicóloga disse que compareceram para elaboração da prova escrita 26 reeducandos, para realizar a produção do relatório de leitura.

O reeducando Misac Gonçalves Pinheiro de Souza, de 53 anos, disse que “este projeto é de extrema importância, pois abre a mente ao conhecimento e desenvolve melhor a pessoa que está no sistema de cárcere”.

Já o reeducando Alex Santos de Oliveira, de 30 anos, declarou que “o Projeto abre portas para o aprendizado, explana o que não conhecemos e aumenta a sabedoria pessoal”, disse.

Publique um comentário