Cursos e Palestras

Dia Mundial Sem Tabaco tem ações em presídios do Amazonas

Compartilhe no Google+ Compartilhe no Pinterest Compartilhe no LinkedIn Compartilhe no Tumblr

Tratar a dependência emocional é caminho mais eficaz para largar o cigarro, dizem especialistas 

Em 29 de agosto é celebrado anualmente o Dia Nacional de Combate ao Fumo, a fim de reforçar ações nacionais que sensibilizem a população carcerária do Amazonas sobre os prejuízos que o tabaco acarreta, seja economicamente, ambientalmente e, principalmente, na saúde das pessoas, a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) e a Umanizzare Gestão Prisional, empresa que faz cogestão em cinco unidades do Estado, promovem uma série de atividades nesta semana para  conscientizar os custodiados sobre as consequências do cigarro para o corpo humano. 

 Segundo especialistas o tabagismo é uma das principais causas de mortes evitáveis em todo o mundo. Os dados são da Organização Mundial da Saúde (OMS).

O tabagismo é uma doença crônica, que atinge milhões de pessoas ao redor do mundo e também é responsável por ocasionar diversas doenças, que vai desde o câncer de pulmão a doenças que atingem diversos órgãos. “Além do câncer o hábito de fumar pode causar diversas enfermidades, como, por exemplo, infarto agudo do miocárdio, enfisema pulmonar, trombose arterial e venosa, acidente vascular cerebral (AVC)”, explica o médico da Umanizzare, Elivaldo de Melo. 

 Falso prazer – Durante as atividades junto aos presos, os profissionais da saúde querem desmistificar que fumar traz prazer e tranquilidade – e que nesse sentido fumar seria uma resposta à frustração, sem, entretanto, obter sucesso.

De acordo com a coordenadora de projeto da Umanizzare, Maria Domingas Printes, as palestras sobre o tema são trabalhadas o ano inteiro, porém em datas significativas como o Dia de Combate ao Tabagismo as atividades são reforçadas, para alertar os fumantes sobre os perigos do tabagismo, bem como de encorajar os internos a largar o fumo, pelos efeitos negativos que ele traz para a saúde”, disse a coordenadora.

“Percebemos que os internos acabam criando esse hábito do uso de tabaco no presídio, por questões de tensão, estresse. Durante as palestras, além de alertar para os malefícios que o cigarro causa, lembramos os internos da importância de participar dos projetos desenvolvidos especialmente para eles, nas áreas de esporte, educação e que fazem toda a diferença para a saúde física e mental deles”, acrescenta Domingas. 

Unidades – Todas as unidades cogeridas pela Umanizzare Gestão Prisional no Amazonas terão atividades voltadas para do combate ao tabagismo e ao câncer bucal, conforme calendário criado pelos gestores de cada presídio.

Sobre a data – O Dia Nacional de Combate ao Fumo foi criado através da Lei Federal nº 7.488, de 11 de junho de 1986, que tem como proposta alertar a população sobre os malefícios advindos do uso do fumo (cigarros, charutos, etc).

Publique um comentário