Cursos e Palestras

Internos recebem palestra sobre cuidados com o coração

Compartilhe no Google+ Compartilhe no Pinterest Compartilhe no LinkedIn Compartilhe no Tumblr

As doenças cardiovasculares estão entre as principais causas de morte no mundo. No Brasil, cerca de 300 mil pessoas sofrem infartos todos os anos, segundo o Ministério da Saúde, e em 30% dos casos a doença é fatal. Além disso, a Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que até 2040 as mortes por doenças cardiovasculares devem aumentar em 250%.

As estatísticas são um dos motivos para que a Umanizzare Gestão Prisional Privada, empresa que faz cogestão em seis unidades da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), por  iniciativa do setor de Enfermaria das unidades, promovesse ações educativas em alusão ao Dia Mundial do Coração com intuito de incentivar a prática de atividades físicas e cuidados com a alimentação.

Na Unidade Prisional de Itacoatiara aproximadamente 60 internos dos Pavilhões A, B, Triagem e enfermaria participaram de atividades voltadas para lembrar a importância dos cuidados para um  coração saudável.

A enfermeira UPI,  Graciane Fábio, além de ministrar a palestra: Cuidando do Coração, criou dinâmicas  descontraídas para orientar os internos, “pedimos para que eles preenchessem balões, simbolizando o coração do participante,   em seguida realizamos perguntas como por exemplo: Quem não pratica nenhuma atividade física? Quem gosta de comer alimentos enlatadas em conservas? Quem tem a prática de fumar?. Cada vez que a resposta fosse sim para a pergunta, o próprio interno explodia o balão – coração”, explicou a Graciane.

A profissional destacou a importância da mudança de hábitos, salientando que o coração é fonte de energia para todo o corpo, e pediu a todos a manterem vigilância permanente sobre o corpo, ressaltando que pequenas e simples mudanças como participar das coletas de exames e dos exercícios realizados nos presídios, já ajudam a recarregar a bateria.

Após a dinâmica  foi aferida a pressão arterial dos reeducandos,  os valores que deram maior ou igual 140×90 foram orientados  para o mapeamento da Atenção Primária, para fins de diagnóstico.

Prevenção: É comum associar problemas do coração com tontura, falta de ar e fortes dores no peito, mas nem sempre há manifestação de sintomas. Algumas doenças chegam de forma silenciosa e, quando descobertas, podem estar em estágio avançado. Pessoas que apresentam histórico familiar de doenças cardiovasculares devem ficar mais atentas. Além disso, diabetes, hipertensão e colesterol elevado também são fatores que aumentam as chances de desenvolver doenças cardíacas. A prática de atividades físicas combinada com alimentação saudável é essencial para prevenir problemas futuros, além do acompanhamento médico regular.

A gerente técnica da UPI, Maria Domingas Printes, ressalta que o coração  em média realiza 120 mil batimentos por dia. Por isso, não tem como negar que ele precisa de cuidados,  “às doenças cardíacas atingem muitos brasileiros e, pior, na maioria dos casos elas poderiam ter sido evitadas. Temos que cuidar bem do nosso coração, pois com o tempo vamos obtendo hábitos ruins para a nossa saúde e consequentemente comprometendo esse e outros órgãos do nosso corpo”, disse Domingas.

Publique um comentário