Cursos e Palestras

Detentas do CDPF concluem cursos oferecidos pela Umanizzare

Compartilhe no Google+ Compartilhe no Pinterest Compartilhe no LinkedIn Compartilhe no Tumblr

Vinte reeducandas do Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF), que participaram das oficinas de Colorimetria do projeto “Lisbela”, e customização de sandálias pelo projeto Mãos Livres, receberam nesta quinta –feira  os certificados de conclusão dos cursos.

Segundo Sheryde Karoline, gerente técnica da Umanizzare, os cursos possuem status profissionalizante e irão proporcionar às alunas aprendizagens para que, após o cumprimento da pena, aconteça a abertura do próprio negócio. “Com o certificado, elas possuem têm uma grande oportunidade de emprego e geração de renda, sem precisar pedir nada de ninguém, diminuindo as chances de reincidência”, disse a gerente técnica.

Para as instrutoras dos projetos Marines Costa, responsável pelas aulas do projeto Lisbela, e Francimeire Araujo, pelo Projeto Mãos Livres, os cursos vêm alcançado seus objetivos de atender a comunidade carcerária feminina em suas necessidades, elevando a autoestima das internas e criando perspectivas profissionais de trabalho. Ainda segundo elas, é possível perceber a vontade de aprender e de mudar por parte das reeducandas, o stress e ansiedade também diminuem consideravelmente.

“Elas se concentram no que estão aprendendo e ressaltam as intenções de se tornarem donas do próprio negócio.  É muito gratificante participar de todo esse processo de transformação, de crescimento”, disse Marines.

As aulas práticas aconteceram uma vez por semana, durante três meses. E as internas aprenderam durante o curso de customização de sandálias por exemplo: técnicas de tingimento de pérolas, trama de flores, trama centopeia, trançado de contas, costura de trama e amarração de pedrarias.

“Estes projetos possuem a finalidade de promover um momento de empreendedorismo na forma de ressocialização, para que as presas aprendam uma ferramenta para geração de emprego e renda, que possa ser utilizada após a saída da unidade prisional”, enfatizou Francimeire.

 

 

 

 

 

 

O estímulo a cursos profissionalizantes e noções de empreendedorismo estão sendo intensificados dentro das unidades prisionais, administradas Umanizzare Gestão Prisional, empresa que faz cogestão em seis unidades da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap).

Remição de Pena – Os cursos são ministrados para devolver a autoestima, muitas vezes perdida com a privação da liberdade, ajudar a redução da pena pelo trabalho, como prevê a Lei de Execução Penal (LEP), e serve para abrir as portas do empreendedorismo para essas mulheres.

Publique um comentário