Notícias

Reeducandas do CDPF fazem curso para produzir sandálias customizadas

Compartilhe no Google+ Compartilhe no Pinterest Compartilhe no LinkedIn Compartilhe no Tumblr

Aproximadamente 15 reeducandas do Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF) participarão da capacitação que começa na segunda quinzena de agosto. A meta é a ressocialização utilizando o empreendedorismo como ferramenta de trabalho para a geração de renda após o cumprimento da pena.  

A qualificação profissional é desenvolvida por meio de parceria entre a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) e a cogestora das unidades prisionais no Amazonas, a Umanizzare Gestão Prisional.

As aulas serão realizadas no período de um mês, ministrada pela colaboradora da Umanizzare, Francimeire Araújo. As alunas do curso terão aulas práticas de técnicas de tingimento de pérolas, trama de flores, trama centopeia, trançado de contas, costura de trama, amarração de pedrarias, entre outros.

De acordo com a gerente técnica da Umanizzare, Sheryde Karoline, os cursos possuem um papel fundamental na rotina das internas, que podem transformar o tempo ocioso dentro da unidade em novos aprendizados.

“O estímulo a cursos profissionalizantes e noções de empreendedorismo estão sendo intensificados. As atividades são essenciais para despertar interesses profissionais nas pessoas que estão custodiadas e para tirar o tempo ocioso”, diz a gerente técnica.

 

Remição de Pena – Os cursos são ministrados para devolver a autoestima muitas vezes perdida com a privação da liberdade, ajudar também na redução da pena pelo trabalho, como prevê a Lei de Execução Penal (LEP), e serve para abrir as portas do empreendedorismo para essas mulheres.

“A autonomia econômica é essencial nesse processo de ressocialização e, com esse curso, vamos identificando as vocações e prestando uma espécie de assessoria empresarial”, explica Sheryde Karoline.

Publique um comentário