IPAT

Presos tem atividade sobre o meio ambiente

Compartilhe no Google+ Compartilhe no Pinterest Compartilhe no LinkedIn Compartilhe no Tumblr

Internos receberam palestras, folders informativos e realizaram plantio simbólico de mudas de árvores frutíferas.

Com 7% da superfície total do planeta, a Amazônia abriga cerca de 50% da biodiversidade do mundo  e é tida como o “pulmão da Terra”. Celebrada nacionalmente no mês de junho, a Semana do Meio Ambiente teve uma programação de atividade para os internos do Instituto Penal Antônio Trindade (IPAT); Unidade Prisional de Itacoatiara (UPI) e reeducandos da Unidade Prisional de Puraquequara (UPP).

A iniciativa de criar ações relacionadas ao tema partiu da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) e da equipe técnica da Umanizzare Gestão Prisional Privada. O principal objetivo foi de conscientizar os reeducandos a respeito do meio ambiente, à preservação ambiental e a formação de agentes multiplicadores de proteção da natureza.

A ação contou com aproximadamente 20 internos de cada unidade que participaram das palestras e distribuição de folders informativos, confecção de objetos feitos com material reciclado e até com o plantio simbólico de mudas de árvores frutíferas.

IPAT – De acordo com a gerente administrativa do Ipat, Adriane Ricardo, atitudes simples podem fazer a diferença quando o assunto é meio ambiente, principalmente, desenvolver alguns hábitos sustentáveis. Na visão da gerente, embora temporariamente reclusos em espaço delimitado, os internos têm acesso e manuseiam embalagens plásticas dentro das celas, de modo que podem praticar ações de sustentabilidade ecológica e desenvolverem uma nova cultura cidadã, em conformidade com as novas exigências do mundo.

“Os internos puderam aprender, conhecer algumas experiências ecologicamente corretas e a tomar consciência da importância de preservação do meio ambiente para assegurar que as futuras gerações tenham o direito de usufruir dos recursos naturais”, informou Adriane.

Já a psicóloga Francisca Kely, responsável pelas atividades na unidade, destacou que o ciclo de debates, incluindo palestras, permitiu aos reeducandos a oportunidade de refletir e verbalizar suas ideias sobre preservação ambiental.

“Para nós, é muito importante estar contribuindo com a ressocialização e a capacitação de cidadãos na defesa do meio ambiente, a principal proposta das nossas palestras foi a de sensibilizar os internos quanto ao uso sustentável dos recursos naturais, como fazer o descarte correto dos resíduos sem agredir o meio ambiente e as pessoas. Levar a educação ambiental para eles foi uma experiência gratificante e marcante para nós e os reeducandos”, afirmou a psicóloga.

Publique um comentário