Notícias

Taxa de natalidade e prevenção de doenças sexualmente transmissíveis são temas em Itacoatiara

Compartilhe no Google+ Compartilhe no Pinterest Compartilhe no LinkedIn Compartilhe no Tumblr

Iniciativa faz parte do projeto de ressocialização para conscientizar reeducandos e seus familiares sobre gravidez, doenças e família.

Finalizando as ações do mês de maio, a Unidade Prisional de Itacoatiara (UPI) realizou no dia 24, mais uma ação do Projeto Planejamento Familiar.  Esposas e internos receberam orientações sobres questões relacionadas à gravidez, cuidados que podem evitar infecções sexualmente transmissíveis (ISTS) e a importância do vínculo familiar.  

De acordo com a gerente técnica da UPI, Maria Domingas Printes, todos os assuntos são abordados de forma lúdica e interativa para fortalecer cada vez mais a família, como base para a construção do indivíduo em sociedade. Domingas ressaltou, ainda, que ser família de detento atrai estigmas sociais que precisam ser enfrentados.

“Por isso o acolhimento e planejamento caminham juntos. Os assistentes sociais e psicólogos promovem palestras educativas e criam ambientes de confraternização e de interação entre os familiares, de um jeito que a informação chegue tranquila e o mais importante, de forma eficiente”, avalia Domingas.

Já a assistente social da Umanizzare Gestão Prisional, cogestora da UPI,  Ana Bezerra, explicou aos reeducandos e as esposas sobre os cuidados que devem ter com a prevenção das ISTS e os locais que oferecem o serviço de planejamento familiar gratuitamente, as chamadas Unidade Básica de Saúde (UBS) implantada nos municípios.  

A esposa do reeducando Arnaldo de Oliveira Rolim, Luciana de Lima Cordeiro, aprovou a ação. Segundo ela, foi possível tirar dúvidas, principalmente sobre como planejar o momento certo de ter filhos.

A equipe de saúde da Umanizzare esteve à disposição dos convidados durante a ação. A psicóloga, Patrícia Mendes, destacou que o planejamento trás questionamentos e reflexões dentro do grupo sobre planejar o presente e o futuro a qualidade de vida mental, física, psicológica para a família. Para a dentista Tamiris Ferreira, o projeto é gratificante porque dá  oportunidade de transformar a vida dos reeducandos e seus familiares de forma positiva.

“Reatar laços familiares em circunstâncias tão adversas é uma tarefa delicada, as palestras socioeducativas com linguagem acessível, faz com que todos entendam a importância de controlar a taxa de natalidade e os cuidados que precisam ser tomados para evitar doenças sexualmente transmissíveis”, alerta a psicóloga.

A enfermeira, Julli Janaína, afirma que a educação em saúde é um processo de aprendizagem contínuo e que o enfermeiro é um educador preparado para propor estratégias no intuito de oferecer caminhos que possibilitem este ensinamento como a importância da higiene pessoal e a necessidade de usar preservativos.

Para finalizar a ação foi entregue aos participantes kits com pacotes de preservativos; sabonetes íntimos, sabonetes artesanais, feitos pelos próprios reeducandos da unidade, toalha de rosto e folders informativos sobre os temas abordados.

Publique um comentário