Notícias

Profissionais da saúde recebem treinamento para prevenir a tuberculose nos presídios

Compartilhe no Google+ Compartilhe no Pinterest Compartilhe no LinkedIn Compartilhe no Tumblr

Enfermeiros e técnicos de enfermagem vão trabalhar na prevenção da doença no regime fechado  do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (COMPAJ)

A Capacitação dos profissionais da área de saúde faz parte dos projetos de promoção à saúde e qualidade de vida da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (SEAP) e a cogestora das unidades prisionais, Umanizzare Gestão Prisional.  O objetivo é que, no primeiro semestre deste ano, todos os profissionais que atendem os presídios sejam capacitados.

O gerente técnico e enfermeiro do Compaj, Antônio Valdecir Ribeiro, informa que a prevenção inclui mutirões realizados anualmente em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) e com a Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas  ( SUSAM), com buscas de sintomáticos.

“Internamente serão realizadas  palestras de orientação e coletas de  amostras de escarros que são enviadas para laboratórios, para diagnóstico da doença. Com 15 dias após iniciado o tratamento, a pessoa já não transmite mais a doença. O tratamento deve ser feito por um período mínimo de 6 meses, diariamente e sem nenhuma interrupção, ressaltou o gerente.

Plano Nacional de Saúde – Capacitar os profissionais que atuam dentro das unidades prisionais na prevenção da tuberculose faz parte do Plano Nacional de Saúde, que prevê, ainda, a inclusão da população penitenciária no SUS, garantindo o direito à cidadania e dos  direitos humanos.

Atualmente o Brasil ocupa o 17º lugar entre os 22 países responsáveis por 82% do total de casos de tuberculose no mundo. Embora seja uma doença passível de ser prevenida, tratada e mesmo curada, ainda mata cerca de 4,7 mil pessoas todos os anos no Brasil.

“Ao longo dos últimos anos, diversos avanços foram alcançados pelos programas de controle da tuberculose pelo SUS, todavia  nossa atenção dentro das  unidades junto aos detentos  é fundamental, o primeiro diagnóstico é feito aqui dentro, por nossos profissionais”, afirma Valter Sales, coordenador regional da Umanizzare.

Dia Mundial de Combate à Tuberculose –  A Organização  Mundial da Saúde (OMS) instituiu   o  24 de março  como o dia D  de combate a doença, pelos 100 anos do anúncio do descobrimento do bacilo causador da tuberculose, ocorrida em 24 de março de 1882, pelo médico Robert Koch.

Sinais e sintomas –  A tuberculose é uma doença infectocontagiosa que afeta principalmente os pulmões, mas também pode acometer órgãos como ossos, rins e meninges (membranas que envolvem o cérebro).   De acordo com o Ministério da Saúde, os sinais e sintomas mais frequentes são: tosse seca ou com secreção por mais de três semanas;  podendo evoluir para tosse com pus ou sangue; cansaço excessivo e prostração; febre baixa geralmente no período da tarde;  suor noturno e rouquidão.

Prevenção e tratamento – A vacina BCG é obrigatória para menores de um ano, pois protege as crianças contra as formas mais graves da doença. A melhor forma de prevenir a transmissão da doença é fazer o diagnóstico precoce e iniciar o tratamento adequado o mais rápido possível. O tratamento só termina quando o médico confirmar a cura total do paciente.

Publique um comentário