Warning: "continue" targeting switch is equivalent to "break". Did you mean to use "continue 2"? in /home/umanizzarebrasil/www/wp-content/plugins/revslider/includes/operations.class.php on line 2722

Warning: "continue" targeting switch is equivalent to "break". Did you mean to use "continue 2"? in /home/umanizzarebrasil/www/wp-content/plugins/revslider/includes/operations.class.php on line 2726

Warning: "continue" targeting switch is equivalent to "break". Did you mean to use "continue 2"? in /home/umanizzarebrasil/www/wp-content/plugins/revslider/includes/output.class.php on line 3624
Umanizzare Brasil, Autor em Umanizzare Brasil - Página 15 de 18
Author

Umanizzare Brasil

Browsing

Os mais de 60 participantes da 18ª edição do curso de “Formação de Agentes de Socialização” aprenderam na quarta-feira (18), sobre a disciplina de “Saúde e Segurança no Trabalho”. O curso tem carga horária de 8h e traz conceitos sobre saúde e qualidade de vida.

De acordo com a gerente de RH da Umanizzare, Erika Borges, a ementa do curso menciona, ainda, sobre os fatores físicos e ambientais que favorecem a boa saúde e segurança no trabalho.

“Os participantes aprendem ainda a relacionar as doenças geradas no ambiente organizacional e as formas de preveni-las”, disse a gerente de RH.

Segundo Erika Borges, os participantes passam a ter conhecimento sobre a prevenção de acidentes no trabalho e cumprimento das normas regulamentadoras do NR’s. A gerente de RH disse que a ementa traz abordagens sobre os fenômenos micros e macros organizacionais que influenciam a saúde e a qualidade de vida.

“A ementa traz outras discussões, como a relação do trabalho-família e a prevenção das doenças de disfunções geradas no ambiente prisional”, disse Erika Borges.

Metodologia

Erika Borges explica que a metodologia da disciplina será com aulas expositivas com utilização de mídia, apresentação (Data show/computador), além da discussão em grupo. A gerente de RH disse que a avaliação será feita por meio de frequência, participação, comportamento e teste escrito.

A disciplina de “Gerenciamento de Crise”, foi tema trabalhado pelos mais de 60 participantes da 18ª edição do curso de “Formação de Agentes de Socialização”, promovido pela Umanizzare Gestão Prisional. O curso teve carga horária de 8h e os participantes aprenderam sobre o conceito e o gerenciamento de crise.

De acordo com a gerente de RH da Umanizzare, Erika Borges, os participantes aprenderam, ainda, sobre exemplos de crise, características de crise, doutrina de gerenciamento de crise, critérios de ação, classificação dos graus de risco e critérios de ação.

“Os alunos participantes aprenderam, também, sobre o dimensionamento das crises, as fases de gerenciamento, resposta imediata, operação e organização de posto de comando, localização, além do acesso a distribuição de tarefas”, disse a gerente de RH.

Erika Borges explicou que os participantes aprendem ainda sobre os elementos operacionais essenciais, organização de posto de comando, planejamento e condução, o processo de negociação, condutas importantes, uso de técnicas letais, alternativas táticas, invasão tática e resolução do conflito.

Erika Borges explicou que o objetivo geral da disciplina foi oferecer aos participantes o conhecimento sobre os procedimentos de gerenciamento de crise, para atuar na prevenção de situações críticas no ambiente carcerário, além de capacitar tecnicamente os candidatos a agentes e gerenciar as ocorrências de alto risco, priorizando salvar vidas e aplicar a lei de estabelecer a ordem.

Metodologia

Erika Borges explica que a metodologia da disciplina foi com aulas expositivas com utilização de mídia, apresentação (Data show/computador), além da discussão em grupo. A gerente de RH disse que a avaliação foi feita por meio de frequência, participação, comportamento e teste escrito.

A disciplina de “Introdução à Saúde no Sistema Prisional” foi tema de debate para os mais de 60 participantes da 18ª edição do curso de “Formação de Agentes de Socialização”, que aconteceu na quinta-feira (12). o curso é promovido pela Umanizzare Gestão Prisional. A disciplina teve carga  horária de 8h, e abordou temas como: HIV, Tuberculose, DSTs, Hepatites e noções básicas do Plano Nacional de Saúde.

De acordo com a gerente de RH da Umanizzare, Erika Borges, a ementa trouxe discussões sobre os processos sistemáticos de doenças infectocontagiosas em ambiente de carcerário, prevenção, formas de contágio e tratamento.

“O objetivo geral da disciplina foi trazer um processo de reflexão das ações que ampliem a compreensão do processo saúde e doença”, disse a gerente de RH.

Erika Borges disse que outro debate importante foi levar aos participantes do curso de formação de agentes de socialização a compreensão sobre os diversos riscos de contágios de doenças, como a tuberculose e doenças de pele. A gerente de RH explicou, ainda, que os participantes do curso de formação passaram a conhecer as formas de contágio, prevenção e tratamento das doenças sexualmente transmissíveis.

“Eles estudaram sobre a AIDS, hepatites e tuberculose, além de receberem o conhecimento que possibilitará que eles identifiquem os processos sintomáticos das doenças infectocontagiosas”, disse Erika Borges.

Metodologia

Erika Borges explica que a metodologia da disciplina será com aulas expositivas com utilização de mídia, apresentação (Data show/computador), além da discussão em grupo. A gerente de RH disse que a avaliação será feita por meio de frequência, participação, comportamento e teste escrito.

 

Os mais de 60 participantes da 18ª edição do curso de “Formação de Agentes de Socialização”, aprenderam sobre “Tratamento Penitenciário”, em disciplina ministrada no curso. Os objetivos gerais da disciplina foram: oferecer o conhecimento dos tipos de tratamento do sistema prisional, descrição da importância do papel da família e da comunidade na execução penal e analisar a evolução do modelo ressocializador, descrevendo os paradigmas da reintegração penal.

De acordo com a gerente de RH da Umanizzare, Erika Borges, a ementa do curso trouxe a temática sobre o estudo da evolução do ressocializador e os paradigmas da reintegração social. Além da abordagem sobre o tratamento penitenciário como política de garantia de direitos humanos, fator de redução de danos e minimização de vulnerabilidade que os sistema punitivo produz.

“Existe, ainda, a ementa de equilíbrio, limites e possibilidades entre a segurança e o tratamento penitenciário, a integração e complementaridade das garantias assistenciais dos presos”, disse a gerente de RH.

Erika Borges explicou que os participantes estudaram sobre o protagonismo da pessoa presa e integração social, além da política de individualização da pena, o papel e a atuação da família e da comunidade na Execução Penal.

“Podemos frisar a abordagem sobre a interface da política penitenciária com as políticas socais, a garantia do direito à assistência à saúde, social, jurídico, educacional, laboral, desportivo, cultural e religioso”, disse Erika Borges.

Metodologia

Erika Borges explica que a metodologia da disciplina será com aulas expositivas com utilização de mídia, apresentação (Data show/computador), além da discussão em grupo. A gerente de RH disse que a avaliação será feita por meio de frequência, participação, comportamento e teste escrito.

Cerca de 60 participantes aprenderam Noções Básicas da Lei de Execução Penal (LEP) em disciplina, na 18ª edição do curso de “Formação de Agentes de Socialização”. A avaliação do curso que aconteceu terça-feira (10) foi realizada por meio de frequência, participação, comportamento, teste escrito e teve carga de 8h.

De acordo com a gerente de RH da Umanizzare, Erika Borges, a ementa traz práticas sobre objeto e aplicação das noções básicas da LEP, as modalidades de assistências ao preso, o trabalho do preso, direito e deveres do presos.

“Os participantes aprendem ainda sobre órgãos de Execução Penal, estabelecimentos prisionais, tipos de estabelecimentos prisionais, portarias que regulamentam entrada de alimentos, equipamentos eletrônicos e alvarás de soltura”, disse a gerente de RH.

Erika Borges explicou que os objetivos gerais da disciplina são ofertar o conhecimento das noções básicas que tratam sobre a LEP e o estatuto penitenciário do Amazonas nos serviços penais, dominar os conceitos legais para otimizar as ações relativas ao desempenho das funções do agente de disciplina, além de cumprir as regras e assumir as responsabilidades dos serviços penais com autonomia.

Metodologia

Erika Borges explica que a metodologia da disciplina será com aulas expositivas com utilização de mídia, apresentação (Data show/computador), além da discussão em grupo.

Na 18ª edição do curso de “Formação de Agentes de Socialização”, os mais de 60 participantes do cursos passaram a aprender sobre primeiros socorros, em disciplina. O objetivo geral da matéria é ampliar o conhecimento na área de emergência, situações de risco e primeiros socorros. A disciplina foi aplicada na segunda-feira (7).

De acordo com a gerente de RH da Umanizzare, Erika Borges, a ementa do curso oferece o conhecimento sobre a avaliação geral do paciente através de exames primários e secundários, noções de urgência e emergência, hemorragia: sinais e sintomas, primeiros socorros.

“Os participantes aprendem ainda, sobre fraturas: tipos de fraturas e cuidados de transporte, por exemplo, o uso da maca e cordão cervical”, disse a gerente de RH.

Erika Borges explicou que os participantes aprendem

sobre conceitos e primeiros socorros em situação de desmaio, convulsões e queimaduras, todos os tipos de queimaduras, graus e os cuidados que devem ser tomados.

Metodologia

Erika Borges explica que a metodologia da disciplina será com aulas expositivas com utilização de mídia, apresentação (Data show/computador), além da discussão em grupo. A gerente de RH disse que a avaliação será feita por meio de frequência, participação, comportamento e teste escrito.

Na 18ª edição do curso de “Formação de Agentes de Socialização”, promovido pela Umanizzare Gestão Prisional, os mais de 60 participantes aprendem sobre “Noções Básicas de Inteligência Penitenciária”. O curso que teve carga horária de 4h, aconteceu na quarta-feira (18).

De acordo com a gerente de RH da Umanizzare, Erika Borges, os alunos terão conhecimento sobre os conceitos de sistema de gestão de informação, histórico da informação, histórico da atividade de inteligência penitenciária e influência da inteligência penitenciária na segurança pública do Estado.

“Os participantes vão estudar, ainda, sobre a finalidade e características da atividade de inteligência penitenciária, princípios e valores da atividade de inteligência penitenciária, ramos da atividade de inteligência penitenciária e tipos de inteligência penitenciária”, disse a gerente de RH.

Segundo Erika Borges, os participantes também aprenderão sobre análise e produção de informação, conceito de operação de inteligência, corpo técnico de operação de inteligência, técnicas operacionais e tipo de inteligência penitenciária e conceitos de contra inteligência penitenciária.

Erika Borges explicou que o objetivo geral da disciplina é definir sistema e gestão de informação, relacionar a atividade de inteligência penitenciária com a segurança pública, além de descrever os princípios e valores da atividade de inteligência penitenciária.

Metodologia

Erika Borges explica que a metodologia da disciplina será com aulas expositivas com utilização de mídia, apresentação (Data show/computador), além da discussão em grupo. A gerente de RH disse que a avaliação será feita por meio de frequência, participação, comportamento e teste escrito.

Os mais de 60 participantes da 18ª edição do curso de “Formação de Agentes de Socialização”, estudaram na segunda semana do mês de julho, a disciplina de radiocomunicação. O curso com carga horária de 8h teve como avaliação a atividade prática de utilização de rádio, avaliação escrita e participação nas aulas.

De acordo com a gerente de RH da Umanizzare, Erika Borges, o objetivo do curso foi de abordar as definições, conceitos e regras no usos e manuseio de rádio de comunicação no sistema prisional. Além de apresentar os conceitos de aprendizados e compreensão da estrutura, tecnologia, sistema de códigos, bem como a capacitação do aluno à operação de rádios comunicadores.

“Nesta ementa, os participantes aprenderam sobre os cuidados na transmissão e recepção por rádio, como citar o código Q, como mencionar os cuidados no manuseio de equipamentos de comunicação, também explicar sobre o Cs da comunicação”, disse a gerente de RH.

Segundo Erika Borges, os participantes puderam identificar o que são ordens diretas, como reconhecer o código fonético internacional e como relacionar algumas das normas internacionais de comunicação.

Metodologia

Erika Borges explica que a metodologia da disciplina será com aulas expositivas com utilização de mídia, apresentação (Data show/computador), além da discussão em grupo. A gerente de RH disse que a avaliação será feita por meio de frequência, participação, comportamento e teste escrito.

Os mais de 60 participantes da 18ª edição do curso de “Formação de Agentes de Socialização” aprenderam na última quinta-feira (12), sobre a disciplina de “Noções Básicas de Psicopatologia”. Nesta ementa, os participantes aprendem sobre definição de transtorno mental, medo ansiedade e fobia, além do transtorno de ansiedade.

De acordo com a gerente de RH da Umanizzare, Erika Borges, os participantes estudam sobre neurose, psicose e esquizofrenia, abordagem que estão inseridas na ementa de “Definição de Transtorno Mental, além de abordarem sobre a temática do medo e da ansiedade com estudo da ansiedade normal e patológica, manifestação de ansiedade e plano cognitivo e físico.

“Os participantes abordaram, ainda, sobre o transtorno da ansiedade, transtorno do pânico, obsessivo-compulsivo (TOC), stress, medicamentos ansiolíticos, transtorno de humor, depressão, transtorno depressivo recorrente, afetivo bipolar e de personalidade”, disse a gerente de RH.

Erika Borges explicou que o objetivo do curso é caracterizar os principais tipos de psicopatologias encontrados no sistema penitenciário, identificar os principais sintomas psicopatológicos e relacionar o ambiente do sistema penitenciário com possíveis psicopatologias.

Metodologia

Erika Borges explica que a metodologia da disciplina foi com aulas expositivas com utilização de mídia, apresentação (Data show/computador), além da discussão em grupo. A gerente de RH disse que a avaliação foi feita por meio de frequência, participação, comportamento e teste escrito.

Unidades prisionais do Amazonas terão programação especial em celebração ao Dia dos Pais, comemorado no segundo domingo de agosto. Um cronograma de atividades para a data comemorativa foi elaborado para que os reeducandos possam celebrar a data juntos com os filhos.  

 

Na Unidade Prisional de Itacoatiara (UPI), o evento será realizado entre os dias 11 e 12 de agosto. Nestes dias, a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) e a Umanizzare irão promover atividades no pátio de visitas da unidade, onde os internos e os familiares possam brincar, trocar lembranças e o mais importante, reforçar os laços afetivos entre pais e filhos.

 

“O pai, além de símbolo de amor incondicional, é uma referência para seus descendentes. No encontro, os reeducandos terão a oportunidade de falar, de compartilhar o sentimento paterno que há dentro deles”, disse a gerente técnica da UPI, Maria Domingas Printes.

 

O evento receberá acompanhamento de agentes da Umanizzare, assim como equipes de serviço social e de psicologia para orientar e fazer uma homenagem aos pais e familiares ao início da ação. Entre as atividades trabalhadas, haverá concurso de poesia, bingo e a distribuição de lembrancinhas confeccionadas pelos próprios internos aos seus familiares, além de um lanche com música.