Tag

inclusão

Browsing

Presos do regime fechado do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj-Fechado), participam de oficina de confecção de luminárias em tubos PVC no “Projeto Mãos Livres”. O projeto que é inserido na política de qualificação profissional da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), é realizado em parceria com a Umanizzare Gestão Prisional nas prisões do Estado e será desenvolvido nesta segunda-feira (7), na quarta-feira (9), quinta-feira (10) e sexta-feira (11).

De acordo com o gerente técnico da Umanizzare, Valter Sales, o objetivo do projeto é fazer com que os reeducandos possam obter uma renda extra e sair da ociosidade. Além de ter conhecimento técnico, produzir e comercializar artigos e obter uma renda para o sustento da família.

Valter Sales informou que os reeducandos recebem matérias para que possam desenvolver a atividade, e o que eles faturam com a produção e venda das luminárias é enviado para os seus familiares. Sendo que parte do lucro é destinado para compra da matéria prima, para que possam dar continuidade na produção.

“O projeto de confecção de luminárias é uma grande oportunidade para o reeducando abrir seu próprio negócio e se tornar um empreendedor, garantindo o sustento quando estiver em liberdade”, explicou o gerente.

Segundo Valter, enquanto os reeducandos estão reclusos, o curso proporciona uma maneira de ganhar dinheiro regularmente, uma vez que os parentes participam das feiras de artesanato pela cidade e conseguem uma renda extra com a venda dos produtos.

De acordo com Valter Sales, as ações desenvolvidas para o curso estão focadas na ressocialização por meio do aprendizado de uma profissão. Também têm cumprido vários papéis nas unidades, inclusive com a melhora no comportamento dos internos.

Remição de pena

Os internos voluntários que participam da oficina também ganham remição de pena pelo trabalho, podendo reduzir o tempo de permanência na prisão.  Nas três semanas, espera-se uma redução de quatro dias remidos para cada apenado.