CDPM

Presos do CDPM 1 recebem certificados do curso profissionalizante de Eletricista Predial

Compartilhe no Google+ Compartilhe no Pinterest Compartilhe no LinkedIn Compartilhe no Tumblr

Internos do Centro de Detenção Provisória de Manaus (CDPM 1), localizado no Km 08 da BR-174 (Manaus-Boa Vista), participaram do encerramento do curso de Eletricista Predial, nesta quarta-feira (23). Foram 15 dias de curso por meio do Núcleo de Aprendizado Profissionalizante, projeto criado pela Umanizzare Gestão Prisional, empresa que faz cogestão em cinco unidades da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap). 

Doze internos foram formados como eletricistas. O curso profissionalizante, que teve carga horária de 160 horas, com entrega de certificados, faz parte dos projetos de ressocialização que capacitam os internos para trabalharem após o cumprimento de suas penas. Com o curso, os reeducandos estão aptos a cumprirem a função dentro da unidade.

Segundo o diretor do CDPM 1, Marcio André Pinho, o conhecimento adquirido durante o curso abrirá muitas portas dentro e fora do sistema. “É um projeto em que todos ganham: vocês, a unidade, o Estado e a família. Os parentes ficam felizes ao chegarem aqui e verem que estão trabalhando com uma nova diretriz que os afasta do crime. Nós estamos dando oportunidade que muitos nunca tiveram. Com a base que adquiriram no curso, vocês já têm outra opção que vai ajudá-los a se sustentar e sustentar a família e se sentir útil. Sintam-se privilegiados”, comentou, falando aos reeducandos

O curso:  Durante o curso, os internos obtiveram conhecimentos de conceitos básicos de eletricidade; grandezas elétricas: tensão, corrente, resistência, potência e suas unidades de medidas; associação de resistores: tipos de resistores, código de cores,  circuitos elétricos: circuito série, circuito paralelo, circuito misto, curto circuito; Lei de ohms: cálculo de circuitos, resistor equivalente série e paralelo; conceitos básicos de eletricidade: corrente AC e DC; análise dos circuitos: comportamento da corrente em um circuito série e paralelo 8, entre tantos outros necessários para exercer a profissão. 

O instrutor Jones Barreto ressalta que os participantes terão a capacidade de atuar na área elétrica, além da chance de seguir com a profissão. “Qualquer um aqui, a partir de agora, pode trabalhar de forma autônoma. Com o conhecimento que foi adquirido, vocês podem ser donos da própria empresa, basta querer”, afirmou o professor. 

A coordenadora de projetos da Umanizzare, Maria Domingas Printes, destacou que o curso vai além do certificado que foi entregue a todos os reeducandos. “Vocês agora possuem o saber, usem para escolhas positivas e aproveitem essa chance de ter uma profissão”, ressaltou.

Para um dos internos, o curso é uma oportunidade para que possam trabalhar quando estiverem em liberdade. “Na minha vida ninguém nunca me deu uma oportunidade, mas vocês trouxeram isso para a gente para que possamos colocar em prática. Obrigado pelo voto de confiança”.

O curso capacita para diversas atividades relacionadas a instalações residenciais e comerciais, como fiação, cabeamento, instalação de quadros elétricos ou caixa de energia e iluminação, entre outros.

Remição – Os internos que passarem pelos cursos poderão exercer o ofício nos presídios por meio do “projeto de remição da pena pelo trabalho não remunerado”, conforme prevê a Lei de Execução Penal (LEP), com a utilização da mão de obra dos reeducandos para a reforma e manutenção da unidade.

Com a atividade laborativa, o preso resgata parte da condenação, diminuindo seu tempo de duração. Para cada três dias trabalhados, o preso tem direito à diminuição de um dia na pena.

Publique um comentário