Notícias

Coletas de exames na UPI proporcionam momentos com mais saúde para os reeducandos

Compartilhe no Google+ Compartilhe no Pinterest Compartilhe no LinkedIn Compartilhe no Tumblr

Com o objetivo de ajudar a diagnosticar e controlar alterações que podem ocasionar doenças, reeducandos da Unidade Prisional de Itacoatiara (UPI) fazem mensalmente exames de coletas sanguíneos. A atividade acontece por meio de uma parceria entre a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) e a Umanizzare Gestão Prisional.

De acordo com a enfermeira Graciane Fábio, o Ministério da Saúde (OMS) estabelece que os exames de sangue são ferramentas importantes para avaliação do estado de saúde e prevenção de doenças. “É por meio dessas avaliações rotineiras que se pode identificar condições que se instalam de forma silenciosa, como o diabetes, a hipertensão, o colesterol alto e alguns tipos de câncer”, explicou a colaboradora.

A enfermeira contou que a atividade teve início às 07h30, no dia 30 de Agosto de 2019, no setor da enfermaria, onde houve a realização total de 10 coletas, incluindo colaboradores.

“Os exames foram: Hemograma, Triglicérides, Colesterol, Ácido Úrico, Glicemia, VDRL, Urina (EAS) e Fezes (EPF). A Unidade conta sempre com o apoio da Unidade Básica de Saúde José Resk, junto com o Laboratório Central (LACEN), disponibilizando o material para a coleta e análise”, explanou a enfermeira.

Graciane Fábio disse que início da ação começou com as orientações antes da coleta. “Em seguida, é realizado as boas práticas e sistematização da fase pré-analítica, principalmente no processo de coleta da amostra, o qual foi realizado pelo técnico de enfermagem Hamilton Matos e a enfermeira da unidade, fazendo o procedimento de forma correta, seguindo protocolos do Ministério da Saúde e segurança do paciente, evitando assim uma série de erros, retrabalhos e desperdícios de amostras e evitando danos aos pacientes e ao laboratório, como a volta do exame por o sangue está coagulado”, ressaltou a enfermeira.

Para o reeducando Osmar Ribeiro, “foi tranquilo a coleta, por meio da avaliação médica, dá pra saber a existência de alguma doença e se prevenir também”, disse. 

Publique um comentário