Notícias

Filme brasileiro ‘Uma Quase Dupla’ é a atração do Cine Cultura no CDPM

Compartilhe no Google+ Compartilhe no Pinterest Compartilhe no LinkedIn Compartilhe no Tumblr

Exibição do filme é parte do Projeto “Cine Cultura” realizado pela Umanizzare todas as sextas-feiras, em uma das unidades do sistema penitenciário onde a empresa faz cogestão prisional com a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap). As produções buscam trabalhar os conflitos, educar e orientar ludicamente os internos.

            A atração desta sexta-feira será a comédia brasileira “Uma Quase Dupla”. A película é estrelada por Tatá Werneck e Cauã Reymond que protagonizam uma trama de assassinatos em série que abalam a rotina da cidade de Joinlândia, onde um calmo e pacato subdelegado Cláudio (Cauã Reymond) recebe a ajuda da destemida e experiente investigadora Keyla (Tatá Werneck) nas investigações. No entanto, a diferença de ritmo e a falta de química dos dois só atrapalha a solução do caso.

             “Uma Quase Dupla” será assistido por cerca de 20 internos da Enfermaria Psiquiátrica do anexo do Centro de Detenção Provisória de Manaus (CDPM).  O filme faz parte do calendário de atividades promovidas pela Umanizzare.

Exibição do filme é parte do Projeto “Cine Cultura” realizado pela Umanizzare

            De acordo com a assistente social, Carla Rute, o filme foi selecionado porque mostra que, mesmo com as diferenças individuais e os conflitos internos de cada um, com tolerância e amor, os obstáculos podem ser superados com mais facilidade.

            Ainda segundo Rute, durante a semana os reeducandos ficam na expectativa para assistir os filmes programados. “O cinema, no âmbito educativo, proporciona um ambiente ideal para ajudar as pessoas privadas de liberdade a tomarem decisões conscientes e responsáveis. Além disso, o trabalho junto aos pacientes psiquiátricos se torna ainda mais humanizado, descontraído”, explica Rute.

        Projeto – O “Cine Cultura” é uma atividade realizada semanalmente, todas as sextas-feiras.  As produções, de estilos variados, acompanhadas pela tradicional pipoca e refrigerante, são selecionadas pela equipe técnica de acordo com o tema a ser abordado e buscam trabalhar os conflitos, ou educar e orientar ludicamente.  Após o filme, é aberto um espaço para que os reeducandos possam expressar o que sentiram e debaterem sobre o que aprenderam.

Publique um comentário