Cursos e Palestras

Mais de 120 presos concluem cursos profissionalizantes no AM em 2018

Compartilhe no Google+ Compartilhe no Pinterest Compartilhe no LinkedIn Compartilhe no Tumblr

Mais de 120 homens e mulheres do sistema prisional do Amazonas estão capacitados para empreender ou exercer as mais diversas profissões de variados segmentos do mercado de trabalho, após o cumprimento da pena.  

Eles foram capacitados por meio do Núcleo de Aprendizado Profissional (NAP), criado pela Umanizzare Gestão Prisional Privada, empresa que faz cogestão em seis unidades da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap).

Ao todo foram ministrados 13 tipos de cursos profissionalizantes voltados para os reeducandos. As especialidades foram em Instalação e Manutenção de Condicionadores de Ar, Bombeiro Hidráulico, Pintura Predial, Eletricista Predial, Organizador de Eventos, Ornamentação com Balões, Barbeiro, Marcenaria, Artesanato, entre outros.

As aulas foram realizadas por meio do Núcleo de Aprendizado Profissional (NAP), criado pela Umanizzare Gestão Prisional, com cursos voltados para ressocialização e inserção dos reeducandos no mercado de trabalho

Na Penitenciária Feminina de Manaus (PFM) as reeducandas receberam os cursos de Oficina de Pintura em Tecido, Artesanato em EVA, Confecção de Ovos de Chocolate, Oficina de Artesanato em Feltro, Artesanato em Flores Gigantes e Curso de Biscuit.

Das quase 100 internas do PFM, mais de 40% (45) aproveitaram a oportunidade e concluíram os cursos, tendo  ondições de encarar o mercado de trabalho e até mesmo para abrir a própria empresa, se tornando uma microempreendedora.

  Remição pelo trabalho – Segundo o coordenador técnico regional da Umanizzare, Valter Sales, o interno precisa de atividades que ofereçam um futuro de volta à sociedade.

“Os cursos, além de capacitar o reeducando profissionalmente, ensina uma habilidade, tira o interno da ociosidade e proporciona aos que se formam o acesso a política de remição de pena pelo trabalho, podendo reduzir o tempo de permanência na prisão”, diz Valter enfatizando que o  comportamento dos internos também melhora muito.

Unidades Masculinas – Os presídios masculinos também receberam cursos profissionalizantes. No Centro de Detenção Provisória de Manaus (CDPM) os cursos  mais procurados foram os de Teologia, Eletricista Predial e de Barbeiro. Aproximadamente 42 internos receberam certificação para trabalhar nessas áreas.

No Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) foram oferecidos cursos para profissionalizantes para formação de Barbeiro, Agente de Saúde, Oficina de Confecção de Luminárias em Barbante e em PVC.

Na Unidade Prisional de Itacoatiara (UPI), localizada a 177 quilômetros de Manaus, entre os cursos oferecidos com maior participação dos internos estão o de Pintura Predial, Escultura com Balões, Barbeiro.  Dos cerca de 100 custodiados hoje na unidade, 70 receberam formação profissional.

NAP – A proposta do Núcleo de Aprendizado Profissional da Umanizzare  é atuar junto a parcela majoritária da população carcerária, que possui apenas o ensino fundamental incompleto e que está diretamente associada aos altos índices de evasão escolar, o ensino profissionalizante.

Publique um comentário