Cursos e Palestras

Internas do CDPF recebem curso extra do projeto Lisbela

Compartilhe no Google+ Compartilhe no Pinterest Compartilhe no LinkedIn Compartilhe no Tumblr

As reeducandas do Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF), que participam do curso de Colorimetria do projeto “Lisbela”, ganharam uma capacitação extra durante esta semana, o curso de “Preparação de Noivas” promovido pela empresa Umanizzare, que faz a cogestão de seis presídios amazonenses junto à Secretaria de Administração Penitenciária (Seap).

De acordo com a gerente técnica da Umanizzare, Sheryde Karoline, o curso tem status profissionalizante e vai proporcionar às alunas aprendizado para que, após o cumprimento da pena, possam abrir o seu próprio negócio.

“Elas se concentram no que estão aprendendo e ressaltam as intenções de se tornarem donas do próprio negócio, abrindo um salão, por exemplo. É muito gratificante participar de todo esse processo de transformação, de crescimento”, informou Sheryde.

Casamento Marcado – O curso, além de atender a comunidade carcerária feminina em suas necessidades, eleva a autoestima das internas e cria perspectivas profissionais de trabalho.  A reeducanda Cíntia Leal, que está de casamento marcado para assim que deixar a prisão, teve “Um Dia de Noiva”.

“Foi incrível, tive sentimentos tão reais que de fato esqueci que ainda falta um “tempinho” para a o grande dia. Fiquei linda e acho que vou contratá-las para me arrumar quando for viver a emoção desta data novamente, só que de verdade. Tive até buquê e estou feliz”, afirmou a reeducanda.  

Para a instrutora do projeto, Marinez Araújo, os cursos profissionalizantes proporcionam as internas grandes oportunidade de geração de renda para quando ganharem a liberdade, diminuindo as chances de reincidência. Ainda segundo a profissional é possível perceber a vontade de aprender e de mudar por parte das reeducandas.

“O stress e ansiedade diminuem consideravelmente. Em conversa com elas, percebo que apesar da situação a qual estão privadas de liberdade, elas sonham com o recomeço, com casamento, em constituir família. Muitas estão aproveitando a oportunidade de qualificação”, falou Marinez.  

Projeto Lisbela

Criado em 2014, o “Projeto Lisbela” promove qualificação profissional na área de estética e imagem pessoal. Consiste em um salão de beleza, implantado na unidade prisional, para profissionalizar as detentas e ajudar na recuperação da autoestima.

Com o Projeto, a Umanizzare tem alcançado objetivos como a redução da pena por meio de cursos.  As reeducandas trabalham como agente multiplicador, repassando o aprendizado para outras internas.

Publique um comentário