Humanizar

Sistema Prisional cadastra famílias para visitas de detentos em 2018

Compartilhe no Google+ Compartilhe no Pinterest Compartilhe no LinkedIn Compartilhe no Tumblr

Secretaria de Administração Penitenciária vai atualizar o cadastro dos familiares de presos para as visitas periódicas nas unidades 

A partir desta quinta-feira(21), a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) e a co-gestora do sistema prisional Umanizzare começam a realizar o cadastro familiar dos detentos. O processo será feito presencialmente junto aos amigos e parentes e garante aos internos o direito à visita. Quem não tiver cadastro ou estiver com documentação pendente não terá acesso aos presos, em 2018.

O credenciamento será realizado pelo serviço social da Umanizzare Gestão Prisional. Para o secretário de Estado de Administração Penitenciária, Cleitman Coelho, o cadastro é um fator essencial para a ressocialização dos presos, pois com as visitas há o fortalecimento do vínculo familiar.

“Nossa população carcerária hoje é de quase nove mil presos, quando eles se sentem amparados pelo sistema e, principalmente, pelos entes queridos, os reeducados entendem o valor familiar como base para a construção do indivíduo em sociedade”, enfatiza o secretário.

Atendimento – O trabalho é feito pelos assistentes sociais da Umanizzare, que acolhem as famílias identificando as dificuldades de cada uma delas para a comprovação de vínculo com o interno.

“Não é rara a ocorrência de filhos serem impedidos de fazer visitas, por não terem o nome do pai no registro”, explica assistente social da Unidade Prisional de Itacoatira (UPI), Ana Maria Bezerra.

A gerente técnica da Umanizzare, Sheryde Karoline, ressalta que uma equipe composta por assistentes sociais e psicólogos foi montada apenas para atender o Projeto de Planejamento Familiar. O objetivo é desenvolver junto às famílias temas diversos, entre eles: o papel dos pais no desenvolvimento psicológico das crianças.

“Ser familiar de detento atrai estigmas sociais, que precisam ser enfrentados para que não sejam interrompidos os laços afetivos entre pais e filhos. Por isso, acolhimento e planejamento familiar caminham juntos”, reforça a gerente.

Visitas assistidas – Reatar laços familiares em circunstâncias tão adversas é uma tarefa delicada para a equipe técnica da Umanizzare, que criou um espaço para as visitas assistidas, com participação do assistente social e a realização de palestras socioeducativas, com linguagem acessível e troca de afetividade para buscar harmonizar a relação familiar.

Agenda das unidades – Os atendimentos  ficam assim divididos:  Na Unidade Prisional do Puraquequara ( UPP)  toda segunda –feira;  no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (COMPAJ)  nas terças e quartas-feiras;  Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM) as quartas e quintas; Instituto Penal Antônio Trindade (IPAT) também as quartas e quintas-feiras, no Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF) o cadastramento será sempre na quintas e na  Unidade Prisional de Itacoatiara (UPI), quintas-feiras .

Credenciamento – Para visitar o detento no sistema prisional, o visitante deve comparecer a unidade desejada portando Carteira de Identidade (Carteira de Motorista ou de Trabalho), e xerox desses documentos, comprovante de endereço (água ou luz ou fone fixo c/ a data de vencimento de até três meses em nome do visitante ou parente, original e xerox da certidão de nascimento (para os menores de 12 anos) e original e xerox da Carteira de Identidade para os maiores de 12 anos.  Não é preciso fazer agendamento prévio nos casos de cadastro para visita social. O agendamento só é necessário nos casos de visita íntima ou assistida, que precisam passar por entrevista com assistente social. Após o cadastro, o visitante receberá uma credencial com validade de 365 dias, que dará acesso ao estabelecimento prisional desejado.

Publique um comentário