Notícias

Unidade Prisional de Itacoatiara prepara internos para o promissor mercado de beleza masculina

Compartilhe no Google+ Compartilhe no Pinterest Compartilhe no LinkedIn Compartilhe no Tumblr

A Unidade Prisional de Itacoatiara (UPI) está promovendo desde o dia 24 de abril o curso de Barbeiro para quinze reeducandos. A atividade será encerrada no dia 5 de Julho e, além de preparar os internos para o mercado de trabalho cada vez mais exigente, está inserida no programa de remição de pena.

Desenvolvido em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial/Senac, o curso é uma excelente oportunidade para reinserção profissional, pois os barbeiros voltaram a ser valorizados nos últimos anos por conta da solidificação da cultura do embelezamento que, no caso dos homens, exige cuidados com a barba. A avaliação é da diretora regional do SENAC, Silvana Carvalho.

Ela explica que os homens “invadiram” um espaço antes dominado pelas mulheres e tornaram-se fiéis consumidores do mercado de beleza. O faturamento masculino mais que dobrou nos últimos cinco anos, segundo pesquisa da Associação Brasileira de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC). O país Brasil é o segundo maior consumidor mundial de cosméticos para homens.

“O barbeiro é o profissional responsável pelo embelezamento dos cabelos masculinos, realizando cortes, design de barbas, bigodes e acertos de costeletas e executa essas competências com a preocupação de encantar os clientes em ambientes e atendimentos personalizados e atraentes para esse público”, esclarece Silvana Carvalho.

Neste aspecto, diz a gestora, o curso visa atender a expressão desse mercado, cujo número de empreendimentos em barbearias tem crescido significativamente no Brasil e no Estado do Amazonas. O curso também proporciona aos alunos a possibilidade de tornarem-se empreendedores do seu próprio negócio.

Para um mercado exigente, conhecimentos científicos e técnicas aprimoradas. É o que os reeducandos estão recebendo no curso. “Os cursos do Senac não visam somente tarefas e técnicas de uma ocupação, mas os conhecimentos científicos, habilidades, atitudes e valores necessários para fundamentar essa prática, ou seja, o aluno tem uma formação genérica que lhe possibilita crescer como pessoa e como profissional”.

Outro aspecto fundamental é que a associação da marca Senac amplia as oportunidades de emprego e negócios por ser reconhecida no Brasil e no exterior. “É um aval de que o apenado passou por esta formação com qualidade, o que aumenta a credibilidade por empresários e clientes”. Assim qualificados, os terão acesso a novas oportunidades para ressocialização, influenciando na redução dos índices de reincidência.

“O Senac sente-se honrado em poder contribuir com a Unidade Prisional de Itacoatiara, no cumprimento das medidas de reabilitação do apenado”, afirmou Silvana, mas confessou ter sido um desafio para todos por se tratar de um ambiente carcerário. Nossa equipe precisou vencer os preconceitos que geralmente envolvem esse tipo de ação para mudar seus paradigmas e encontrar as estratégias certas para trabalhar com o público carcerário”.

A gestora realçou a importância da equipe técnica da Umanizzare no sentido de assegurar que o projeto pudesse ser realizado. “Certamente, sem a parceria e o acompanhamento diário da equipe dessa unidade ficaria muito difícil ou não haveria condições de acontecer o curso. Mas, ao final, o resultado mostra-se promissor para todos os envolvidos, se considerarmos que, dos 12 participantes, somente três evadiram do curso”.

Vale destacar que três dos internos somente deixaram o curso porque ganharam a liberdade. Um dos barbeiros formados foi contratado pela própria Unidade Prisional para realizar suas funções internamente. “Isso, com certeza, mostra o resultado de um trabalho coletivo, com novos frutos a serem gerados”, avalia Silvana Carvalho.

Publique um comentário