Notícias

CPP de Palmas, UPI e UPP celebram Semana do Meio Ambiente com plantio de árvores e palestras

Compartilhe no Google+ Compartilhe no Pinterest Compartilhe no LinkedIn Compartilhe no Tumblr

A Semana do Meio Ambiente – celebrada nacionalmente no mês de junho – foi pauta mais uma vez na Casa de Prisão Provisória de Palmas, na Unidade Prisional de Itacoatiara/UPI e na Unidade Prisional de Puraquequara, envolvendo a equipe técnica da Umanizzare, parceiros externos e reeducandos da unidade prisional. Diversas atividades foram desenvolvidas, como palestras, distribuição de folders informativos, apresentação de vídeo educativo e plantio simbólico de mudas de árvores frutíferas.

Na Unidade Prisional Puraquequara, o Dia Mundial do Meio Ambiente foi celebrado com uma ação inovadora: o curso de artesanato – com confecção de peças de bijuteria com miçangas. A ideia foi conscientizar os internos quanto aos cuidados com seu próprio meio ambiente e promover um momento de entretenimento com a propagação de conhecimentos. Foram confeccionados anéis, pulseiras e prendedor de cabelos. As peças melhor trabalhadas receberam premiação.

Nas demais unidades os internos puderam aprender também técnicas de plantio, conheceram algumas experiências ecologicamente corretas e tomaram consciência da importância de preservação do meio ambiente para assegurar que as futuras gerações tenham o direito de usufruir dos recursos naturais. Coordenadora do projeto, a psicóloga Alline Cardoso Saraiva esclareceu que a preservação ambiental é um dever coletivo, mas deve ser uma preocupação individual.

Segundo ela, atitudes simples podem fazer a diferença quando o assunto é meio ambiente, principalmente desenvolver alguns hábitos sustentáveis. Na visão da psicóloga, embora temporariamente reclusos em espaço delimitado, os internos têm acesso e manuseiam embalagens plásticas dentro das celas, de modo que podem praticar ações de sustentabilidade ecológica e desenvolverem uma nova cultura cidadã, em conformidade com as novas exigências do mundo.

O assistente social José Carlos Barros Figueira esclarece que o ciclo de debates, incluindo as palestras, permitiram aos reeducandos a oportunidade de refletir e verbalizar suas ideias sobre preservação ambiental. Os próprios internos demonstraram como ações simples podem repercutir positivamente na vida da coletividade. Ao final das atividades, todos os 34 participantes declararam que a discussão sobre o meio ambiente devem ser pauta permanente, tamanha a importância.

A diretora do Departamento de Educação Ambiental de Itacoatiara, Aldiza Macedo Leão Rodrigues, afirmou que todos os ambientes da sociedade devem receber educação ambiental e que os detentos do sistema prisional estão inseridos neste contexto. “Para nós, é muito importante estar contribuindo com a ressocialização e a capacitação de cidadãos na defesa do meio ambiente, principal proposta das nossas palestras”.

Aldiza explicou que o principal benefício das palestras para a vida dos detentos é principalmente a sensibilização quanto ao uso sustentável dos recursos naturais, como fazer o descarte correto dos resíduos sem agredir o meio ambiente e as pessoas. “Poder estar levando a educação ambiental para os internos foi uma experiência gratificante e marcante para o departamento, mostrando que a secretaria de meio ambiente está disposta a levar a educação ambiental a todos”.

UPI
UPP
CPP
CPP

 

Publique um comentário